Você está no Blog da Sare Drogarias

Não tratada, rinite alérgica pode trazer complicações

Doença crônica está entre as cinco de maior incidência no mundo


O ar frio e seco do inverno traz problemas de saúde típicos da estação. A rinite alérgica e a asma são consideradas alergias respiratórias, e nesta época há um grande aumento no número de casos. Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI), a rinite alérgica está entre as cinco doenças crônicas de maior incidência, e atinge entre 10 e 30% dos adultos e até 40% das crianças em todo o mundo.



A rinite consiste na inflamação do tecido (mucosa) que reveste as cavidades nasais. Esta  inflamação costuma se estender ao revestimento dos seios da face. É a rinossinusite. A rinite ou rinossinusite pode ser aguda, que acontece durante resfriados e gripes, causadas por vírus, ou crônica. A rinite (ou rinossinusite) alérgica é um dos exemplos mais comuns de rinite/rinossinusite crônica, e pode durar semanas, meses ou até anos.



A rinite alérgica também é considerada um fator de risco para a asma. Segundo os especialistas, a doença compromete até 30% da população. Cerca de 80% das pessoas com asma também sofrem de rinite que, se não tratada adequadamente, pode piorar as crises asmáticas, levando a otites, sinusites, ronco, respiração com a boca aberta e até alterações na posição dos dentes.



Entre os sintomas da rinite estão:

entupimento das narinas,  

coriza aquosa ou transparente,

espirros frequentes,

olhos lacrimejantes,

coceira nos olhos, nariz e garganta.  



O tratamento inclui, além de medicamentos, o controle ou higiene do ambiente onde se vive, para reduzir o contato e a inalação de substâncias como a poeira doméstica, animais ou mofo. A rinite alérgica que não é tratada implica, no futuro, em tratamentos à base de antibióticos para tratar das complicações, como otites, sinusites, e asma brônquica.



A rinite alérgica não mata, mas quem sofre desta doença tem má qualidade de vida, principalmente se os sintomas são intensos e duradouros. O atendimento médico e passar por um tratamento adequado podem reverter essa situação.

    

Por: AgComunicado