Você está no Blog da Sare Drogarias

Eritropoetina Estudos

Esse tipo de Eritropoetina é adquirido através da tecnologia de DNA recombinante. Ela contém 165 aminoácidos e sua sequência é equivalente à da Eritropoetina natural do organismo humano.

Autor: Karina Silva Farias

 



Eritropoetina o que é?



A eritropoetina é uma glicoproteína gerada principalmente pelo rim e sua principal função é regular a produção de glóbulos vermelhos - eritrócitos maduros (age como fator hormonal de estimulação mitótica e de diferenciação). Sua produção é estimulada por hipóxia (falta de oxigênio nos tecidos orgânicos do corpo humano).



Eritropoetina humana recombinante (rHuEPO):



A rHuEPO é uma forma de Eritropoetina que  é adquirida através da tecnologia de DNA recombinante. Ela contém 165 aminoácidos e sua sequência é equivalente à da Eritropoetina natural do organismo humano.



Eritropoetina apresentações:



- Eritropoetina humana 4000ui: obtida por meio da técnica de DNA recombinante;



- Eritropoetina alfaepoetina: a alfaepoetina ou epoetina alfa, é a denominação comercial para uma das formas disponíveis da rHuEPO - Eritropoetina humana recombinante [1]. A denominação pode variar de acordo com o modo de obtenção, no caso da alfapoetina ela é obtida por meio de células CHO - células de ovário de hamster chinês.



Eritropoetina para que serve?



- Eritropoetina anemia tratamentos:



A Eritropoetina é destinada ao tratamento da anemia por Insuficiência renal crônica (IRC), também incluindo pacientes que estejam ou não em diálise. A Eritropoetina  humana recombinante ajuda a aumentar e/ou manter a quantidade de hemácias/eritrócitos no sangue. Por meio do tratamento à base de Eritropoetina é possível reduzir o número de transfusões nos pacientes com IRC.



- Tratamento da Anemia de pacientes com AIDES: a eritropoetina é indicada no tratamento da anemia em pacientes pediátricos (de 6 meses a 15 anos de idade) infectados pelo vírus HIV. O propósito do tratamento é aumentar ou manter o nível de eritrócitos e diminuir a necessidade de transfusões nestes pacientes.



- Tratamento de pacientes oncológicos em quimioterapia: a Eritropoetina é indicada para pacientes com neoplasias metastáticas não mielóides para tratar a anemia sintomática decorrente da quimioterapia.



IMPORTANTE: Eritropoetina não tem como finalidade resolver os quadros de anemias severas/graves que exijam correção imediata. Sua indicação está restrita à substituição da necessidade de tratamento da anemia por meio de transfusão.



Faz-se necessária a avaliação/investigação das reservas de ferro em todos os pacientes antes e durante o tratamento à base de eritropoetina.



Eritropoetina alto custo:



A alfaepoetina compõe a lista de medicamentos de alto custo que são fornecidos pelo Sistema Único de Saúde - SUS. Porém, a alfaepoetina é destinada somente ao tratamento da anemia em pacientes com insuficiência renal crônica.



Eritropoetina Estudos:



Por meio de dados extraídos de um *estudo clínico que teve por finalidade avaliar o efeito terapêutico e da farmacocinética do uso intravenoso e subcutâneo da Eritropoetina humana recombinante no tratamento da anemia, ficou evidenciado através dos resultados obtidos que 92% dos 25 pacientes com insuficiência renal crônica terminal (IRCT) avaliados neste estudo atingiram o hematócrito (porcentagem do volume de sangue ocupado pelos glóbulos vermelhos) alvo em 12 semanas de tratamento. Os pacientes submetidos à pesquisa obtiveram um aumento global médio de hematócrito de 9,5% e de hemoglobina de 2,7 g/dl nas 16 semanas de tratamento. O estudo complementa que não houve necessidade de transfusões por anemia decorrente da IRCT, com exceção para reposição sanguínea por perda aguda resultante de cirurgia ou acidente dialítico [2].



Eritropoetina aplicação - Eritropoetina administração:



O medicamento Eritropoetina somente de ser utilizado sobre indicação e orientação médica.



Eritropoetina comprar – Eritropoetina preço:



A compra do medicamento Eritropoetina somente é realizada por meio da apresentação da prescrição médica.



 



Fontes:



[1] http://www.scielo.br/pdf/rbme/v9n3/17268.pdf



[2] http://www.bio.fiocruz.br/images/stories/pdfs/monografia/monografia_epo.pdf