Dimorf 1mg Caixa Com 50 Ampolas 2ml - Sulfato De Morfina

Dimorf 1mg Caixa Com 50 Ampolas 2ml - Sulfato De Morfina

Dimorf 1mg caixa com 50 ampolas 2ml
Principio Ativo: SULFATO DE MORFINA
Fabricante: Cristália
Medicamento: Controlado

EAN: 7896676405293
Código MS: 1.0298.0097.0131-1
De R$ 559,99 Por R$ 499,99
8x R$ 62,50
ou R$ 484,99 no pagamento à vista

Preço para compra na loja.

MEDICAMENTO CONTROLADO - VENDA DISPONÍVEL APENAS VIA TELEVENDAS.
LIGUE AGORA:

Este produto está indisponível para compra
Dimorf 1mg Caixa Com 50 Ampolas 2ml - Sulfato De Morfina É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE UM MÉDICO OU UM FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.

Dimorf 1mg caixa com 50 ampolas 2ml 

Dimorf Solução Injetável DIMORF® 0,1 mg/mL - Caixas contendo 5, 10 e 50 ampolas de 1mL em estojos esterilizados. DIMORF® 0,2 mg/mL - Caixas contendo 50 ampolas de 1mL e 50 ampolas de 1mL em estojos esterilizados. USO ADULTO USO POR VIA VENOSA E ESPINHAL (PERIDURAL OU INTRATECAL) COMPOSIÇÃO Cada 1mL contém: sulfato de morfina pentaidratado equivalente a.............0,1mg.............0,2mg de sulfato de morfina veículo estéril q.s.p.........................................................1,0mL............1,0mL (veículo: cloreto de sódio, ácido clorídrico, água para injeção). Dimorf Solução Injetável - Indicações O sulfato de morfina é um analgésico sistêmico, usado para o alívio da dor que não responde a nenhum outro analgésico narcótico sistêmico. Aplicado por via peridural ou intratecal promove o alívio da dor por períodos maiores, sem a perda das funções motora, sensorial ou simpatomimética. Administração peridural ou intratecal de pequenas doses provoca o alívio da dor por períodos mais prolongados diminuindo o risco de alguns efeitos colaterais e reações adversas. É indicado também no alívio da dor do parto quando administrado via intratecal. Na suplementação da anestesia geral, regional ou local. Contra-indicações de Dimorf Solução Injetável DIMORF® está contraindicado naquelas condições médicas que impedem a administração de opioides pela via intravenosa, alergia à morfina e outros opioides, asma brônquica aguda, obstrução das vias aéreas superiores. A administração de morfina por via peridural ou intratecal está contraindicada na presença de infecção no local da injeção, terapia anticoagulante, diátese hemorrágica ou condição médica que contra indique as técnicas peridurais ou intratecal. Advertências DIMORF® deve ser administrado com extremo cuidado em pacientes idosos ou debilitados, na presença de aumento da pressão intraocular/intracraniana e em pacientes com lesões cerebrais. Deve ser administrado em doses reduzidas a pacientes que estejam tomando conjuntamente outros analgésicos gerais, fenotiazidas, outros tranquilizantes, antidepressivos tricíclicos e outros depressores do SNC, inclusive álcool. A miose pode obscurecer o curso da patologia intracraniana. Depressão respiratória, hipotensão, sedação profunda e coma podem ocorrer. Pode ocorrer convulsão em consequência de altas doses em pacientes com história pregressa de convulsão. Estes pacientes deverão ser observados cuidadosamente quando medicados com morfina. Os efeitos depressores da morfina sobre a respiração e sua capacidade de elevar a pressão do fluido cérebro espinhal podem ser exacerbados na presença de aumento da pressão intracraniana. Deve ser utilizada com cuidado durante crises de asma, levando em conta o fato de que pode causar hipotensão, mascarar o diagnóstico de condições abdominais agudas. A dose deve ser reduzida para pacientes idosos, debilitados, com problemas renais ou hepáticos, mal de Addison, hipotireoidismo, estreitamento uretral e hipertrofia da próstata. Pacientes ambulatoriais devem ser avisados de que a morfina reduz as habilidades físicas ou mentais necessárias para certas atividades que requerem atenção e alerta. Como outros narcóticos a morfina pode causar hipotensão ortostática. A morfina pode causar dependência física ou psíquica. Gravidez O sulfato de morfina não é teratogênico em ratos com 35 mg/kg/dia (35 vezes a dose humana usual), mas resultou em um aumento na mortalidade dos filhotes e retardou o crescimento em doses maiores que 10 mg/kg/dia (10 vezes a dose humana usual). O sulfato de morfina só deve ser administrado em pacientes grávidas quando não há outro método de controle da dor e que serão monitoradas durante o parto. Classificação: Categoria de Risco para Gravidez – C ESTE MEDICAMENTO NÃO DEVE SER UTILIZADO POR MULHERES GRÁVIDAS SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA. Amamentação A morfina é excretada no leite humano. Por esta razão, deve haver muito cuidado na administração a pacientes que estejam amamentando. Carcinogenicidade / Mutagenicidade / Infertilidade Não há relatos de efeitos carcinogênicos em humanos. Dirigir veículos e operar máquinas Durante o tratamento com DIMORF® pode haver alteração das habilidades mentais e/ou físicas necessárias para a realização de tarefas potencialmente perigosas tais como dirigir veículos e operar máquinas. Portanto, o paciente deve ser alertado. Interações medicamentosas de Dimorf Solução Injetável Depressores do SNC: a morfina deve ser administrada com cautela em pacientes que recebem concomitantemente medicamentos inibidores do SNC (sedativos, hipnóticos, anestésicos em geral, antieméticos, fenotiazídicos, outros tranquilizantes e álcool) devido ao risco de depressão respiratória, hipotensão, sedação profunda ou coma. Relaxantes Musculares: A morfina pode potencializar a ação do bloqueio neuromuscular dos relaxantes e levar a certo grau de depressão respiratória. Analgésicos Opioides Agonistas / Antagonistas: Analgésicos agonistas/antagonistas (por exemplo, nalbufina) devem ser administrados com cautela em pacientes que estão em tratamento com analgésicos opioides agonistas. Nesta situação a associação de analgésicos agonistas/antagonistas pode reduzir o efeito analgésico da morfina e desencadear sintomas de abstinência nestes pacientes. Inibidores da Monoamino-oxidase (MAO): A morfina não deve ser administrada em pacientes que fazem uso de inibidores da MAO. Nestes casos recomenda-se suspender o tratamento por pelo menos 14 dias devido a possibilidade de potencialização de efeitos do opióide como ansiedade, confusão mental, depressão respiratória e coma. Cimetidina: Há um caso isolado de confusão e depressão respiratória grave na associação de cimetidina e morfina em pacientes dialíticos.

Escreva uma Avaliação

     1   2   3   4   5  
Produtos Relacionados