Bem Vindo a Sare Drogarias

Televendas

(11) 2021-6464

REBATEN LA 80MG C/30

Fabricante: Sigma Farma

Código do Produto: SKUP8296

De R$ 27,59 Por R$ 25,84

R$ 24,55 no pagamento à vista.

Ligue agora e fale conosco - (11)2021-6464

bandeiras de cartões

DESCRIÇÃO DO PRODUTO

 

Rebaten Indicações de Rebaten

Rebaten é indicado no tratamento da hipertensão. Pode ser usado como droga única ou em associação a outros agentes anti-hipertensivos, especialmente diurético tiazídico. Rebaten não está indicado nas emergências hipertensivas. Angina pectoris devido à aterosclerose coronariana: tratamento prolongado de pacientes com angina pectoris. Enxaqueca: profilaxia da enxaqueca comum. A eficácia de Rebaten no tratamento da crise de enxaqueca já instalada não está estabelecida, não sendo indicado para tal uso. Estenose subaórtica hipertrófica: é útil no tratamento da estenose subaórtica hipertrófica, especialmente no tratamento de angina de esforço, angina de estresse, palpitações e síncope. Rebaten (cloridrato de Rebaten - propranolol) também aumenta a tolerância ao exercício físico. A eficácia do cloridrato de Rebaten - propranolol nesta doença, parece ser conseqüente ao bloqueio de receptores beta-adrenérgicos, reduzindo o elevado gradiente de pressão de saída de fluxo que encontra-se exacerbado em conseqüência ao estímulo contínuo de receptores beta-adrenérgicos. A melhora clínica pode ser temporária.

Efeitos Colaterais de Rebaten

Muitos dos efeitos adversos são transitórios e de leve intensidade e, raramente, exigem a interrupção do tratamento. Cardiovulares: bradicardia; insuficiência cardíaca congestiva; intensificação do bloqueio atrioventricular; hipotensão; parestesia das mãos; púrpura trombocitopênica; insuficiência arterial geralmente do tipo Raynaud. Sistema nervoso central: sensação de vazio na cabeça; depressão mental manifestada pinsônia, lassidão, fraqueza, fadiga, depressão mental reversível progredindo para catatonia; distúrbios visuais; alucinações; sonhos vívidos, uma síndrome aguda reversível caracterizada pdesorientação no tempo e no espaço, perda temporária da memória, labilidade emocional, leves distúrbios sensoriais e desempenho psicomotprejudicado. Para formulações de liberação imediata, fadiga, letargia e sonhos vívidos parecem ser dose-dependentes. Gastrintestinais: náusea; vômito; depigástrica; cólica abdominal; diarréia; constipação; trombose arterial mesentérica; colite isquêmica. Alérgicas: faringite e agranulocitose; rash eritematoso; febre associada à de inflamação da garganta; laringoespasmo; dificuldade respiratória. Respiratória: broncospasmo. Hematológicas: agranulocitose; púrpura não trombocitopênica; púrpura trombocitopênica. Auto-imunes: em casos extremamente raros, lúpus eritematoso sistêmico (LES) foi relatado. Outras: em raras situações foram relatadas alopecia, reações semelhantesdo lúpus eritematoso sistêmico, erupções psoriasiformes, olhos secos, impotência mulina e doença de Peyronie.

Como Usar (Posologia) de Rebaten

Rebaten contém cloridrato de Rebaten - propranolol sob a forma de cápsulas de liberação prolongada para administração em uma única dose diária. Deve-se tomar cuidado em assegurar a eficácia terapêutica desejada naqueles pacientes que faziam uso de Rebaten - propranolol comprimidos e estão mudando para Rebaten. A relação 1 mg para 1 mg não deve ser considerada quando da substituição de Rebaten - propranolol comprimidos para Rebaten. Rebaten apresenta características farmacocinéticas diferentes, produzindo níveis séricos mais baixos. Pode haver necessidade de uma reavaliação da posologia de forma a garantir a eficácia terapêutica, especialmente próxima do final do período de 24 horas. Hipertensão: a dose deve ser individualizada. A dose inicial usual é de 80 mg de Rebaten 1 vez ao dia, quer usado isoladamente ou associado a um diurético. A dose pode ser aumentada gradualmente até que se atinja o controle adequado da pressão arterial. A manutenção usual é de 120 mg a 160 mg, 1 vez ao dia. Em alguns casos, podem ser necessárias doses superiores a 640 mg pdia. O tempo necessário para obtenção de resposta completa à hipertensão para uma determinada dose administrada é variável, podendo estender-se de poucos dias a várias semanas. Angina pectoris: a dose deve ser individualizada. Iniciando-se com 80 mg de Rebaten uma vez ao dia, a dose deve ser gradualmente aumentada em intervalos de 3 a 7 dias, até que uma resposta satisfatória seja obtida. Embora os pacientes possam responder individualmente a qualquer dose, a média da dose satisfatória parece estar em torno de 160 mg, 1 vez ao dia. Em angina pectoris, a segurança com doses superiores a 320 mg pdia não está estabelecida. Em caso de interrupção do tratamento, devem-se reduzirdoses gradualmente, durante várias semanas. Enxaqueca: a dose deve ser individualizada. A dose oral recomendada é de 80 mg de Rebaten 1 vez ao dia, aumentando gradualmente até atingir a dose eficaz para a profilaxia da enxaqueca. A dose usualmente eficaz é geralmente conseguida com 160 mg a 240 mg, 1 vez ao dia. Caso não seja obtida resposta satisfatória dentro de 4 a 6 semanas após atingida a dose máxima, o tratamento deve ser interrompido. A interrupção da droga deve ser feita gradualmente, durante algumas semanas. Estenose subaórtica hipertrófica: a dose recomendada é de 80 mg a 160 mg de Rebaten 1 vez ao dia. Superdosagem: Rebaten não é significantemente dialisável. Caso ocorra superdosagem ou resposta exagerada, devem-se empregarseguintes medidas: geral: caso a ingestão tenha sido recente, esvaziar o conteúdo gástrico, prevenindo a aspiração pulmonar. Bradicardia: deve-se administrar atropina (0,25 mg a 1,0 mg). Caso não haja resposta ao bloqueio vagal, administrar isoproterenol cautelosamente. Insuficiência cardíaca: digitalização e diuréticos. Hipotensão: vasopressores como norepinefrina ou epinefrina (evidências indicam a epinefrina como droga de escolha). Broncospasmo: deve-se administrar um agonista beta-2 e/ou um derivado da teofilina.

Contra-Indicações de Rebaten

Rebaten é contra indicado no caso de choque cardiogênico, bradicardia sinusal, bloqueio atrioventricular maique primeiro grau, asma brônquica, insuficiência cardíaca congestiva, a menos que a insuficiência seja secundária a uma taquiarritmia tratável com Rebaten.

Precauções de Rebaten

Gerais: Rebaten deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência hepática ou renal. O bloqueio de receptores beta-adrenérgicos pode causar redução da pressão intra-ocular. Os pacientes devem ser avisados que Rebaten pode interferir em teste de triagem de glaucoma. A interrupção da droga pode reconduzir ao aumento da pressão intra-ocular. Insuficiência cardíaca: a estimulação simpática pode ser um componente vital auxiliando a função circulatória em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva, e sua inibição pelo bloqueio beta-adrenérgico pode precipitar uma insuficiência cardíaca mais intensa. Embora os bloqueadores beta-adrenérgicos devam ser evitados na insuficiência cardíaca congestiva, se necessário, podem ser usados com um acompanhamento cuidadoso em pacientes com história de insuficiência cardíaca bem compensada, que estejam recebendo digitálicos e diuréticos. Os bloqueadores beta-adrenérgicos não anulam a ação inotrópica dos digitálicos na musculatura cardíaca. O uso contínuo de bloqueadores beta-adrenérgicos em pacientes sem antecedentes de insuficiência cardíaca pode, em alguns casos, conduzir à insuficiência cardíaca. Portanto, ao primeiro sinal ou sintoma de insuficiência cardíaca, o paciente deve ser digitalizado e/ou tratado com diuréticos e a resposta rigorosamente observada, ou o uso deve ser interrompido (gradualmente, se possível). Angina pectoris: há relatos de exacerbação de angina e, em alguns casos, infarto do miocárdio, após interrupção abrupta do tratamento com Rebaten. Portanto, quando a ontinuação de Rebaten é desejada, a dosagem deve ser gradualmente reduzida durante, pelo menos, algumas semanas e, o paciente deve ser alertado sobre possíveis conseqüências da interrupção ou o término do tratamento sem o conhecimento médico. Se o tratamento com Rebaten finterrompido e ocorrer exacerbação da angina, aconselha-se reiniciar o tratamentos com Rebaten e tomar outras medidas apropriadas para o tratamento da angina pectoris instável. Uma vez que a doença coronariana pode ser de difícil reconhecimento em pacientes ateroscleróticos que estejam recebendo Rebaten para outras indicações, aconselha-se seguirrecomendações acima. Broncospasmo não alérgico (bronquite crônica, enfisema): de modo geral, pacientes com doença broncoespástica não devem receber bloqueadores beta-adrenérgicos. Se necessário, Rebaten deve ser administrado com cautela, uma vez que pode bloquear a broncodilatação produzida pela ação de catecolaminas endógenas e exógenas sobre receptores beta. Grandes cirurgias: a necessidade ou desejo de interrupção do tratamento com bloqueadores beta-adrenérgicos antes de grandes cirurgias é controversa. Deve-se salientar, entretanto, que a diminuição da resposta cardíaca aos reflexos estimulantes adrenérgicos pode aumentar os riscos da anestesia geral e dos procedimentos cirúrgicos. Rebaten, como outros bloqueadores beta-adrenérgicos, é um inibidcompetitivo de agonistas de receptores beta-adrenérgicos e seus efeitos podem ser revertidos pela administração de alguns agentes, como dobutamina ou isoproterenol. Entretanto, alguns pacientes podem estar sujeitos à hipotensão severa prolongada. A dificuldade em iniciar e manter o batimento cardíaco também tem sido relatada com bloqueadores beta-adrenérgicos. Diabetes e hipoglicemia: os betabloqueadores, quando necessário, devem ser utilizados com cautela em pacientes diabéticos. Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem marar a taquicardia conseqüente à hipoglicemia, mas outras manifestações, tais como, vertigem e transpiração podem não ser significantemente afetadas. Após a hipoglicemia induzida pela insulina Rebaten pode retardar a recuperação dos níveis normais de glicose sangüínea. Tireotoxicose: o bloqueio beta-adrenérgico pode marar alguns sinais clínicos de hipertireoidismo. Portanto, a interrupção abrupta de Rebaten pode ser seguida de exacerbação de sintomas de hipertireoidismo, incluindo crise tireotóxica. Rebaten pode alterar testes de função da tireóide, aumentando T4 e T3 reverso, e diminuindo T3. Síndrome de Wolff-Parkinson-White: observou-se em diversos pacientes com esta síndrome que, após o uso de Rebaten, a taquicardia foi substituída puma bradicardia intensa, necessitando de marca-passo de demanda. Em um caso, este fato ocorreu após uma dose inicial de 5 mg de Rebaten - propranolol. Testes laboratoriais: elevação dos níveis séricos de uréia em pacientes com doença cardíaca severa, elevação sérica de transaminases, fosfatase alcalina e desidrogenase lática. Uso durante a gravidez: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. Portanto, a segurança do uso de Rebaten durante a gravidez não está estabelecida. Rebaten não deve ser usado durante a gravidez, a menos que os benefícios esperados para a paciente superem os riscos potenciais para o feto, segundo critério médico. Uso durante a lactação: Rebaten é excretado no leite materno. Portanto, deve ser utilizado com cautela em mulheres que estão amamentando. Uso em pediatria: a segurança e eficácia de Rebaten em crianças não estão estabelecidas. - Interações medicamentosas: pacientes recebendo drogas depletoras de catecolaminas, tais como, reserpina, devem ser rigorosamente observados caso recebam Rebaten. A ação bloqueadora adicional de catecolaminas pode provocar uma redução excessiva da atividade nervosa simpática, a qual pode resultar em hipotensão, bradicardia acentuada, vertigem, crises de síncope, ou hipotensão ortostática. Deve-se ter cautela quando da administração de drogas bloqueadoras de canais de cálcio em pacientes que estejam recebendo betabloqueadores, especialmente verapamil intravenoso, pois ambasdrogas podem deprimir a contratilidade miocárdica ou a condução atrioventricular. O gel de hidróxido de alumínio reduz consideravelmente a absorção intestinal de Rebaten. O álcool etílico reduz a velocidade de absorção de Rebaten. A fenitoína, fenobarbital e rifampicina aceleram o clearance de Rebaten. A clorpromazina quando usada concomitantemente com Rebaten resulta em aumento do nível plasmático de ambasdrogas. A antipirina e a lidocaína têm o clearance reduzido quando usadas concomitantemente com Rebaten. A administração concomitante de tiroxina e Rebaten pode resultar em concentração de T3 mendo que a esperada. A cimetidina diminui o metabolismo hepático de Rebaten, retardando sua eliminação e aumentando os níveis sangüíneos da droga. O clearance da teofilina é reduzido quando usada concomitantemente com Rebaten. Moderação do efeito anti-hipertensivo dos agentes betabloqueadores foi relatado com o uso de drogas antiinflamatórias não hormonais. A ocorrência de hipotensão e parada cardíaca já foi relatada com o uso de Rebaten - propranolol e haloperidol.

Apresentação de Rebaten

Rebaten é apresentado em cartucho com 30 cápsulas de 80 mg e 160 mg.

Composição de Rebaten

Cada cápsula contém: cloridrato de Rebaten - propranolol 80 mg ou 160 mg; excipientes: açúcar, amido de milho, ácido esteárico, povidone, eudragit, dibutilftalato e talco.

Laboratório de Rebaten

Wyeth - Indústria Farmacêutica Ltda.

 

COMENTÁRIOS DOS NOSSOS CLIENTES

7 Comentários

usuário

Rapido, pratico e bom preço

04 de Dec

Lara

(Uberlândia )

usuário

Minhas expectativas foram atendidas Obrigada pelo atendimento estou satisfeita

02 de Dec

Sandra

(Castanhal )

usuário

Como sempre,muito bem atendido,pedido chegam rapido,estou muito satisfeito com vcs.um grande abraço e muito obrigado.

02 de Dec

Fernando

(Leme )

usuário

Otima

02 de Dec

Patricia Ribeiro Gaspar

(Cariacica )

usuário

Voltarei a comprar novamente .

02 de Dec

alcione

(POMPEU)

usuário

A entrega um pouco demorada, devido ser pelo correio.

01 de Dec

Fernando

(Ourinhos)

usuário

Sou Enilde Cirqueira e gostei de comprar na SARE, pois chegou dentro do prazo, tudo certinho. Eu recomendo, quem precisar pode comprar sem medo a entrega é garantida. Parabéns!!!

01 de Dec

ENILDE

(ESTREITO)