Você troca regularmente o filtro de água na sua casa?


Não basta ter um bom purificador, a manutenção é igualmente importante

Atualmente existem várias opções de filtros e purificadores de água, alguns mais caros e sofisticados e outros mais simples e acessíveis. O objetivo é transformar a água não potável, com impurezas, em água boa para se beber.

Existem diferentes métodos de filtragem, como os filtros de barro tradicionais, que formam uma barreira física que retém as impurezas; os de carvão ativado, que utilizam um processo químico, com redução da quantidade de cloro que é adicionado à água nas estações de tratamento; os que se valem de membranas de fibra oca, que retém bactérias e protozoários; os de luz ultravioleta, cujos raios acabam com bactérias e vírus, e assim por diante.

Um bom purificador de água tem o selo do INMETRO, que determina o nível de retenção de partículas (de P1 a P6) e de eliminação do cloro (C1 a C3) do aparelho. Quanto menor o número (próximo ou igual a P1 e C1) , melhor o equipamento.

Um fator de importância para a saúde de todos é a necessidade de se fazer a manutenção regular (troca) do filtro. No manual de instruções fica explícito o período de uso em que se pode usar o mesmo filtro interno (seis meses, um ano, etc). Quando o fluxo de água diminui, significa que é hora de efetuar a troca. Os elementos filtrantes ou refis não podem ser limpos, apenas trocados. Caso contrário, a qualidade da água ficará comprometida.

Quem mantém uma moringa de barro deve usar apenas água e uma esponja macia para a limpeza. Não deve aplicar detergente ou qualquer produto de limpeza, que penetram nas porosidades do barro.

Se a água apresentar cor diferente da normal, o melhor a fazer é adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio para cada litro a ser bebido. Outra alternativa é ferver a água (método seguro de desinfecção).

Por: AgComunicado