Vírus H1N1 continua circulando no mundo inteiro. Previna-se!


A chegada do inverno aumenta a ocorrência da gripe

O vírus da gripe A H1N1, que causou uma pandemia em 2009, volta ao Brasil com o maior número de casos registrados nos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul. No clima frio, é mais provável a circulação e a transmissão do vírus influenza A.
 
Segundo o Ministério da Saúde, o subtipo da gripe A H1N1 continua circulando pelo mundo – mesmo com o fim da pandemia – e produzindo surtos localizados. A maioria das pessoas estão protegidas contra ele, seja porque se vacinaram ou porque já tiveram infecção anteriormente.
 
As ações de prevenção devem ser mantidas da mesma maneira que na época de pandemia: lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir a boca e o nariz quando tossir ou espirrar com um lenço de papel, evitar tocar o rosto com as mãos, não compartilhar copos, talheres ou objetos de uso pessoal e, de preferência, utilizar álcool em gel.
 
Os sintomas da gripe H1N1 são semelhantes aos causados pelos vírus de outras gripes. No entanto, deve-se estar alerta caso a pessoa apresente febre alta, acima de 38°, 39°, de início súbito, dor muscular e nas articulações, irritação nos olhos e cansaço. Em alguns casos, também podem ocorrer vômitos e diarreia.
 
É de extrema importância evitar a automedicação. O uso de remédios sem orientação médica pode agravar os sintomas e prejudicar o tratamento. Alguns princípios ativos como o fosfato de oseltamivir e zanamivir, presentes nos antigripais Tamiflu e Relenza, já foram utilizados no tratamento da gripe aviária e têm-se mostrado eficazes contra o vírus H1N1 – principalmente se ministrados nas primeiras 48 horas que os primeiros sintomas aparecem.
 
A vacina ainda é a melhor maneira de prevenir a contaminação, e deve ser aplicada preferencialmente antes do início do inverno, pois o corpo demora cerca de 10 a 15 dias para produzir anticorpos. Claro que isso não é uma regra e sim uma recomendação, não impedindo alguém que não se vacinou anteriormente de tomar a vacina em um período posterior.
 
Por: AgComunicado