Veja a relação entre a disfunção erétil e as doenças cardíacas!


A disfunção erétil está ligada a doenças cardíacas e morte prematura em homens com e sem história de doença cardiovascular.

 
 
A disfunção erétil está ligada a doenças cardíacas e morte prematura em homens com e sem história de doença cardiovascular. A constatação veio de um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade Nacional Australiana, liderado por Emily Banks, e foi publicado na revista PLoS Medicine.
 
 
Pesquisas anteriormente demonstraram que a disfunção erétil está associada ao risco de doença cardíaca. De fato, um estudo a partir de agosto do ano passado demonstrou que a disfunção erétil é um fator de risco em homens com 55 anos ou menos que possuem doença cardíaca eventual. No entanto, este é o primeiro estudo que indica que o grau de disfunção erétil se correlaciona com a elevada probabilidade de hospitalização e doença cardiovascular em todas as causas de mortalidade. 
 
 
Tribulus Terrestris é uma planta que contém esteroides, flavonoides, alcaloides e saponinas, seu uso é tradicional em países do leste europeu para o tratamento de disfunção erétil. A planta funciona aumentando a produção do hormônio LH (hormônio luteinizante) fazendo crescer o nível de testosterona. 
 
 
A pesquisa consistiu de 95.038 homens com idades entre 45 anos ou mais. Depois de controlar as variáveis que podiam ter impacto nos resultados, os especialistas analisaram a relação entre a gravidade do auto relato de disfunção erétil e a mortalidade por doença cardiovascular.
 
 
Mais de 65 mil homens sem a doença cardíaca conhecida no início do estudo e mais de 29.000 homens com doença cardiovascular foram envolvidos na investigação. Durante um follow -up que durou cerca de 2,2 anos e terminou em junho de 2010, houve 7.855 internações de incidentes de doenças cardíacas, e durante um follow -up que durou 2,8 anos e terminou em dezembro de 2010, 2.304 pacientes morreram.
 
 
Os resultados mostraram que os homens com disfunção erétil severa e sem doença cardiovascular tinham 35% maior risco de hospitalização por todas as doenças cardiovasculares e uma chance de 93% em relação elevada de todas as causas de mortalidade, em comparação com aqueles sem problemas de ereção.
 
 
Homens com doença cardiovascular e grave disfunção erétil tinham uma relação de 64 % de aumento de risco para todas as doenças cardiovasculares combinadas e uma chance 137 % maior de todas as causas de mortalidade. O Dr. Rob Grenfell, diretor de saúde cardiovascular da Fundação do Coração da Austrália, disse:
 
 
“Estes resultados dizem-nos que cada homem que sofre de algum grau de disfunção erétil deve procurar assistência médica o mais cedo possível". Os autores explicaram: "Os resultados deste estudo destacam a necessidade de considerar a disfunção erétil em relação ao risco de uma ampla gama de doenças cardiovasculares".
 
 
Além disso, eles enfatizaram que é improvável que a disfunção erétil provoque doenças cardiovasculares. Em vez disso, eles explicaram, ambos resultam de causas semelhantes, como a aterosclerose. "Como resultado, a disfunção erétil poderia servir como um marcador útil para identificar os homens que devem ser submetidos a mais testes para avaliar o seu risco para doenças cardiovasculares", concluíram os pesquisadores.
 
Henrique Torres