Vacinar é preciso


Antes de viajar, confira sua caderneta de vacinações

Quem disse que vacina diz respeito somente aos bebês e às crianças? Adultos também têm que estar com as vacinas em dia. E mesmo tendo tomado todas as imunizações ainda criança, algumas doses precisam ser reforçadas na fase adulta. Outras são indicadas somente para pessoas em situação especial de saúde, gestantes ou idosos. E, mesmo que  não tenha recebido vacina alguma, nunca é tarde para começar a se proteger.

Sem a devida proteção conferida pelas vacinas, estamos expostos a uma série de doenças. Algumas são difíceis de tratar, exigem o uso de medicamentos muitas vezes caros e podem levar a complicações graves.  

Confira se está devidamente protegido:

• Tétano: protege por 10 anos, mas as doses de reforço devem ser feitas nesse intervalo. Mulheres que desejam ter filhos devem tomar esta vacina;
• DT Adulto: protege contra difteria e tétano;
• Rubéola: toda mulher que deseja engravidar, e não desenvolveu esta doença quando criança ou mesmo adulta, precisa se vacinar;
• Gripe: nunca é demais se proteger contra o vírus influenzae;
• Hepatite A: essencial para  evitar doenças no fígado;
• Hepatite B: deve ser tomada tanto por mulheres que desejam engravidar como por todo adulto, para evitar doenças graves no fígado;
• Pneumococo: esta vacina é poderosa, pois confere proteção contra 23 tipos de pneumococos, causador da pneumonia.

Se tiver que tomar mais de uma vacina no mesmo dia, não se preocupe: a aplicação  simultânea de várias no mesmo dia é rotina, e nem por isso irão aparecer ou aumentar os eventos adversos que algumas pessoas podem manifestar.  

Adultos que já tenham uma caderneta de vacinação desde a época em que eram crianças  não precisam começar novamente todo o esquema de vacinação. Isso porque o sistema de defesas do organismo guarda todas as informações que recebe e, ao ser novamente estimulado, tais informações entram em ação para garantir a imunidade. O que será preciso fazer é, na verdade, apenas completar os esquemas, avaliando a necessidade de reforços ou não.

Vacinas importantes como a tríplice viral, hepatite B, tétano e febre amarela estão disponíveis na rede pública de saúde. Pessoas em condições especiais de saúde devem consultar os Centros de Referências para Imunobiológicos Especiais – CRIEs, presentes em todos os estados.

Por: AgComunicado