Vacinação contra poliomelite começa amanhã


Campanha de 2012 pretende vacinar 14 milhões de crianças no Brasil.

 A Campanha Nacional de Vacinação Contra Poliomelite deste ano começará amanhã, 16 de junho, e prosseguirá até 6 de julho em todo o Brasil. A Secretaria da Saúde pretende imunizar contra a poliomelite (paralisia infantil) 14 milhões de crianças brasileiras com menos de cinco anos, o que corresponde a 95% do total.
 
Sábado, dia da mobilização e divulgação nacional – A campanha conta com 115 mil pontos de vacinação, incluindo postos de saúde, igrejas, escolas, sindicatos e shopping centers. Ao todo, serão 350 mil profissionais da saúde participando da ação, além da disponibilização de 42 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.
 
O responsável deve levar a carteira de vacinação da criança, mas aquelas que não a tiverem podem ser imunizadas também. Caso a criança tenha alguma vacina atrasada poderá receber as doses junto com a da poliomelite, porém, neste caso, a apresentação da carteirinha ou de um pedido médico é fundamental.
 
A vacina contra poliomelite é segura e não apresenta contraindicações, porém recomenda-se que as crianças que estejam com febre acima de 38° ou com alguma infecção sejam avaliadas por um médico antes de receberem as gotinhas.
 
O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente a vacina contra a paralisia infantil, que é administrada via oral, em gotas, durante todo o ano nos postos de saúde para a imunização de rotina. Seguindo o calendário básico de vacinação, os bebês devem receber a vacina aos dois, quatro e seis meses de idade. O primeiro reforço é dado aos 15 meses. No entanto, é importante que todas as crianças menores de cinco anos sejam vacinadas durante a Campanha Nacional, mesmo que já tenham sido vacinadas anteriormente.
 
A poliomelite é causada e transmitida por um vírus (poliovírus) e a contaminação ocorre principalmente por via oral. Apesar de ser uma doença grave, a criança não morre quando é infectada, mas pode adquirir sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando a paralisia, principalmente nos membros inferiores.
 
Por: AgComunicado