Uso inadequado de medicamentos preocupa a OMS


Uma receita bem escrita ajuda na saúde do paciente e evita problemas judiciais para os médicos

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 50% dos medicamentos que circulam no mundo foram receitados, vendidos ou preparados de maneira inadequada. A falta de critério e a má orientação quanto à utilização dos remédios junto com o hábito de automedicação no país  aumentam cada vez mais o número de doenças e internações. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil o uso inadequado de medicamentos causa 30,7% das intoxicações e 19,7% dos óbitos.

Conforme a Organização Mundial de Saúde, "há uso racional quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidade individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade". Além de gerar custos ao paciente, que pode não estar sendo tratado da maneira mais adequada e assim levará mais tempo para ser curado, o uso irracional onera o sistema de saúde. Passa-se mais tempo tomando um remédio desnecessário e não se chega ao efeito desejado, podendo inclusive prejudicar o paciente.

Os médicos devem estar preparados para buscar informações seguras sobre os fármacos, levando sempre em conta a medicina baseada em evidências. Especialistas acreditam que isso às vezes não acontece. Importante seria que todas as instituições de ensino cobrassem de seus alunos a disciplina Uso Racional de Medicamentos (URM).

Rasuras, letra ilegível, uso de abreviaturas, erros da posologia e falta de explicação sobre o uso do medicamento são os principais problemas encontrados nas receitas médicas.

Tendo em vista que receitas ilegíveis podem ser usadas em processos, o Conselho Federal de Medicina defende o uso racional de medicamentos e defende que uma medida importante será a digitalização das receitas e prontuários.

Já os pacientes também devem fazer a sua parte, esclarecendo todas as suas dúvidas com o seu médico ou farmacêutico.  É importante que as pessoas entendam que o uso de medicamentos afeta todo o organismo e que ao usá-lo de maneira inadequada, ao invés de melhorar a saúde elas podem prejudicá-la.