Uso de Vitaminas Reduz o Risco de Câncer


Entenda como o uso de vitaminas reduz o risco de câncer.

A redução total de cânceres foi pequena, mas estatisticamente significativa, disse o autor de um novo estudo, Dr. J. Michael Gaziano, um cardiologista no Brigham, sendo a principal razão para mulheres do Hospital e do sistema de cuidados de saúde de Boston VA, tomar um multivitamínico e evitar deficiências nutricionais. O Dr. Gaziano disse, "certamente parece que há uma modesta redução no risco de câncer com o uso de um multivitamínico típico".

 

O estudo foi apoiado pelo National Institutes of Health, e foi iniciado por investigadores da companhia química BASF. Os patrocinadores não influenciaram o projeto de estudo, a preparação de dados de análise ou manuscritos, segundo afirmaram os autores.

 

Cerca de metade de todos os americanos toma de alguma forma um suplemento vitamínico, e pelo menos um terço toma um multivitamínico. Mas muitos estudos recentes de vitamina foram decepcionantes, encontrando não só uma falta de benefício, mas mesmo algum dano associado com grandes doses de alguns suplementos. Existem orientações nutricionais de 2010 para o estado americano de que não há nenhuma evidência de que tomar um suplemento multivitamínico ou mineral evite doenças crônicas.

 

The American Cancer Society recomenda que as pessoas tenham uma dieta equilibrada , mas que aqueles que tomam suplementos escolham um multivitamínico balanceado que contém não mais do que 100 por cento do valor diário da maioria dos nutrientes.

 

Embora diversos pesquisadores dissessem que eles foram um pouco surpreendidos pelas conclusões, outros chamaram os resultados encorajadores.

 

"É um pequeno efeito global, mas do ponto de vista da saúde pública, poderia ser de grande importância," disse o Dr. E. Robert Greenberg, que trabalha em uma filial no centro de pesquisas de Câncer Fred Hutchinson em Seattle. "Além de parar de fumar, não há muito mais lá fora que tem mostrado que irá reduzir seu risco de câncer em cerca de 10 por cento."

Henrique Torres