Um em Cinco Nascimentos na Adolescente não é do Primeiro Flho


Quase um em cada cinco partos de adolescentes norte-americanos com idade variando de 15 a 19 anos, não é um primeiro filho.

Quase um em cada cinco partos de adolescentes norte-americanos com idade variando de 15 a 19 anos, não é um primeiro filho, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Mais 365.000 adolescentes deram à luz em 2010, e quase 67 mil (18,3%) dessas meninas tinha dado à luz pelo menos a um filho antes. Quase toda a gravidez durante a adolescência pode ter um sério impacto sobre a vida e o futuro de todos os envolvidos, como a mãe, a criança e a família. No entanto, os bebês nascidos como resultado de uma nova gravidez têm maior probabilidade de ser prematuros e ter um baixo peso ao nascer.
 
 
O diretor do CDC, o Dr. Tom Frieden, disse: "As taxas de natalidade em adolescente nos Estados Unidos caíram para uma baixa recorde, o que é uma boa notícia. Mas as taxas ainda são muito altas. Os nascimentos podem impactar negativamente a educação da mãe e as oportunidades de emprego, bem como a saúde da próxima geração. Os adolescentes, os pais, os prestadores de cuidados de saúde, e outros, precisam fazer muito mais para reduzir a gravidez indesejada".
 
 
Os dados revelam que quase 91% das mães adolescentes que tinham vida sexual ativa durante o período de pós-parto usaram algum tipo de contracepção. No entanto, apenas 22% usaram uma forma de controle da natalidade, que é considerado como sendo o mais eficaz - ou seja, a probabilidade é de menos do que uma gravidez por 100 utilizações em um ano. O uso de anticoncepcionais, como o Allurene, é indicado para evitar a gravidez na adolescência.
 
Henrique Torres