Trombose pode ser evitada


Sintomas como dor, inchaço e cor vermelho-escuro podem sinalizar formação de coágulo

Entre tantos outros sistemas, o organismo humano possui um que é altamente eficaz e importante: o de coagulação. Ao sofrermos um corte na pele, as plaquetas formam rapidamente um coágulo (ou trombo) que bloqueia o sangramento. Depois, o trombo se dissolve e a circulação volta ao normal.

No entanto, quando os coágulos se formam em local onde não houve sangramento, no interior de uma artéria ou veia,  ocorre o que chamamos de trombose. Se não for tratada, pode levar à morte. Esse trombo, ou parte dele, pode se soltar e seguir para o coração ou pulmão pela corrente sanguínea. Ao chegar aos pulmões ocorre a embolia pulmonar (EP), situação extremamente perigosa que exige cuidados com urgência.

A trombose pode não causar nenhum sintoma, mas também pode haver dor, inchaço e aumento da temperatura na região, coloração vermelho escura ou arroxeada e endurecimento da pele. Ocorre, principalmente, nos membros inferiores. As causas são várias: longos períodos de imobilização, como internações hospitalares ou viagens, terapia de reposição hormonal, herança genética, idade avançada, obesidade, colesterol alto, anticoncepcionais, varizes, cirurgias, gestação e consumo de álcool e fumo. Câncer e insuficiência cardíaca também podem levar à trombose.

Os anticoagulantes, medicamentos que ajudam a reduzir a viscosidade do sangue e a dissolver o coágulo, evitam também novas ocorrências e possíveis sequelas. Para evitar a trombose, você pode:

Caminhar o quanto antes após passar por uma cirurgia ou parto;
Movimentar as pernas, mesmo se estiver de cama;
Usar meias elásticas no pré, pós-operatório e durante a gestação;
Se estiver em um avião ou trem, procure movimentar-se o máximo que puder, como ir ao banheiro, caminhar pelo corredor ou fazer breves alongamentos.
 
Além dos anticoagulantes usuais, uma nova geração de medicamentos, aprovada há pouco tempo no País,  ajuda a prevenir o surgimento da trombose em cirurgias ortopédicas, especialmente de joelho e quadril. Segundo os especialistas, estas drogas têm uma resposta igual ou superior às que já estão no mercado. Quem apresenta sintomas ou tem histórico familiar deve procurar um médico o quanto antes. A trombose tem tratamento e pode ser evitada.

Por: AgComunicado