Tasigna e Glivec medicações para combater a leucemia


Os remédios apresentam excelentes resultados em pesquisas e entre pacientes que sofrem da doença

Tasigna é o medicamento utilizado para tratar a leucemia mieloide crônica, uma espécie de câncer no sangue responsável pela reprodução desordenada das células infectadas. A substância é aplicada para o tratamento de pacientes adultos quando não conseguem responder positivamente a medicação com imatinibe apresentando reações negativas quando consomem o remédio.

Resultados comprovados

Estudo ENESTnd analisou 846 adultos diagnosticados com a leucemia em fase crônica. O grupo recebeu duas doses do Tasigna duas vezes ao dia e o também o Glivec.  Após 24 meses foi observada resposta molecular positiva em 71% e 67% dos pacientes medicados com dose mais elevada do Tasigna. A medicação trouxe melhores resultados do que a droga convencional usada para esse tratamento o Glivec.

Os pacientes que receberam a medicação Tasigna mostraram-se mais fortalecidos no combate a progressão da doença para fases acelerada e blástica, portanto a medicação tornou-se uma ferramenta significativa no controle do câncer no sangue.

Para pacientes que não tolerar a medicação com imatinibe (Glivec) as opções para medicação são Sprycel e a Tasigna  ambos inibidores  tirosina liberados para seguir como terapia  de segunda linha entre portadores  de Leucemia. Todavia, tanto o Sprycel, quanto o Glivec não são medicamentos aprovados como tratamento de primeira linha de acordo com os testes em que participaram.

Leucemia mieloide

A diferença entre a leucemia mielóide e os demais tipos de leucemia é a presença de mudanças genéticas nas células doentes, o que é conhecido como cromossomo Philadelphia (Ph). Quando há alterações nesses genes existe a formação da leucemia mielóide.

A terapia molecular é o tratamento utilizado com drogas que inibem e bloqueiam a proteína responsável pela transformação leucêmica. Quando não há respostas diante da medicação é aplicada a quimioterapia ou em último caso transplante de medula óssea.

As vantagens do consumo do Glivec

  • Não provoca a queda dos cabelos;
  • O paciente tem uma vida ativa, trabalha, estuda e pode realizar suas atividades normalmente sem precisar de internação constante. A doença passa despercebida pelas demais pessoas;
  • É comum a sensação de mal-estar somente após três horas da ingestão do remédio. O mais indicado é o consumo a noite, antes de dormir para não atrapalhar na rotina;
  • As respostas hematológicas costumam ser mais eficientes, assim como as respostas citogenéticas no trato da doença.

Novidade no ramo da ciência e farmacologia

Embora seja uma droga recente aplicada há 15 anos, o medicamento apresenta excelentes resultados no controle da doença podendo levar o paciente à remissão, quando a doença desaparece dos exames e apresenta o sangue normal, mesmo que esteja presente e apenas “adormecida”.  O tempo é curto para falar em cura por meio da ingestão do remédio, mas os excelentes resultados animam os pacientes e a medicina.

Vacina para a cura da leucemia mieloide

Uma excelente notícia é que está em processo de estudo na área de Imunologia uma vacina no combate à translocação do cromossomo Philadelphia , o que pode trazer a cura da doença.

 

Juliana Rodrigues