Transtorno Bipolar: Você realmente sabe do que se trata?


Conheça mais sobre as duas fases de humor que se alternam nessa síndrome

É comum ouvir falar sobre transtorno bipolar, mas do que realmente se trata? Cientificamente esse problema é conhecido como transtorno maníaco-depressivo, trata-se de uma perturbação afetiva e é bem mais do que muitas pessoas pensam ser apenas uma mudança abrupta de humor.

O indivíduo que sofre do problema apresenta duas fases distintas do transtorno, uma fase que envolve excitação, insônia, o indivíduo deseja realizar várias tarefas ao mesmo tempo e demonstra um estado de humor elevado; mas em outros momentos pode apresentar sintomas contrários como depressão, falta de vontade de executar tarefas que antes eram motivo de excitação, ou seja, são dois polos distintos vivenciados, um em seguida do outro, sem uma ordem específica.

Há dois estágios do transtorno. Tipo 1 – São as fases de manias que logo se alternam com os períodos depressivos. O tempo entre as duas fases é variável, a pessoa pode apresentar mais momentos de manias alternados com poucos momentos depressivos ou ao contrário. 

Tipo 2 – Estágio mais leve dos episódios de mania que envolvem excitação, humor elevado, seria um estado de depressão mais leve.

Quais os sintomas da fase conhecida como maníaca?
O indivíduo sente alegria, mas não se trata de uma alegria natural, é um estado que não sofre alteração nem mesmo por um acontecimento trágico, por exemplo. Há também a sensação de poder, sentimento de grandeza, o indivíduo se sente extremamente especial. O sono sofre alterações, o estado de excitação é tão intenso que a pessoa não consegue se concentrar e dormir, mas isso não impede que se sinta plenamente disposta no dia seguinte para a realização das tarefas habituais. A pessoa tem o hábito de falar rapidamente e gesticula mais que o normal. O senso de perigo também costuma ficar abalado.

Quais os sintomas da fase depressiva?
A pessoa é acometida pela sensação de cansaço e se sente sem energia. Pode se sentir triste sem motivo algum. O desespero é outro sintoma dessa fase, a sensação de que nada de positivo poderá acontecer. O indivíduo se sente com baixa autoestima e perde o apetite. A negatividade se torna quase uma condição de vida, a pessoa enxerga a própria vida por meio de uma espécie de "nuvem negra" e não consegue ver possibilidades de melhora. 

A pessoa dificilmente consegue assimilar e perceber o próprio problema, geralmente são pessoas próximas que conseguem identificar o problema. Após a busca por tratamento e posterior diagnóstico, medicamentos podem ser prescritos como lítio e anticonvulsivantes.

Esses medicamentos costumam agir artificialmente produzindo a sensação de bem-estar, semelhante á consequência da sensação produzida por hormônios neurotransmissores.

A alimentação também pode contribuir para estimular a formação de hormônios neurotransmissores como o chocolate amargo, sementes oleaginosas, iogurte natural, frutas como a banana, verduras de folhas verde-escuras, entre outros. 

Bipolaridade é um transtorno sério e merece a atenção!

 

Daiana Barasa