Tempo do Sangue nos Bancos dos Hospitais Pode Prejudicar a Qualidade do Sangue


Bancos de sangue consideram seis semanas o padrão de validade para a utilização de bolsas de sangue, mas isso pode estar errado!

Tempo do Sangue nos Bancos dos Hospitais Pode Prejudicar a Qualidade do Sangue
 
 
Bancos de sangue consideram seis semanas o padrão de validade para a utilização de bolsas de sangue em transfusão de sangue. Agora um novo estudo pequeno dos Estados Unidos adiciona mais evidência para sugerir que este prazo deve ser encurtado para três semanas, porque depois deste tempo as células vermelhas no sangue armazenado perdem a capacidade de fornecer oxigênio, onde é mais necessária.
 
 
As células no sangue em tecidos ficam vivas porque continuamente recebem oxigênio dos glóbulos vermelhos que tem de se espremer através dos capilares mais ínfimos no corpo para alcançá-los. 
 
 
O líder do estudo, Steven M. Frank, professor de Anestesiologia e medicina intensiva na Johns Hopkins University School of Medicine e colegas, descobriu que após três semanas, as hemácias não são flexíveis o suficiente para se apertar para baixo nos minúsculos vasos sanguíneos. Também encontrou que, mesmo após a transfusão em pacientes, os glóbulos vermelhos no sangue que ficaram na prateleira por mais de três semanas não recuperam a flexibilidade que eles tiveram uma vez.
 
 
Eles escrevem sobre suas descobertas dia 28 de fevereiro em uma revista online antes da edição impressa do jornal anestesia & Analgesia. Frank diz em um comunicado: "Há mais e mais informações nos dizendo que a vida de prateleira do sangue pode não ser de seis semanas, que é o que os bancos de sangue consideram padrão".
 
 
Períodos mais curtos de armazenamento significariam menores estoques de sangue, e os bancos de sangue já não são o suficiente para todos. Mas, apesar disso, Frank sugere que os bancos de sangue talvez precisem repensar em sua prática atual de manter o sangue na prateleira por até seis semanas.
Henrique Torres