Tamanho da Cintura Aponta para Outros Problemas de Saúde


Testes indicam que o tamanho da cintura é um dos fatores de preocupação para a saúde das mulheres.

Mais de metade de todas as mulheres em pesquisa feita recentemente tinham índices de massa corporal superiores a escala saudável de 18-25 e quase um quinto foram consideradas moderadamente obesas ou com obesidade mórbida. O problema com a obesidade é sério, pois ela leva ao surgimento de vários problemas de saúde, como a infertilidade, doenças cardíacas e circulatórias, além da diabetes (doença que pode ser controlada com medicamentos como o Victoza).


A Dra. Davina Deniszczyc, chefe dos médicos e diagnósticos em saúde de Nuffield, compartilhou seus pensamentos sobre o assunto dizendo: "Nossos resultados de saúde MOT proporcionam uma fascinante visão de alguns dos problemas de saúde, e devemos enfrentá-los como uma nação. Enquanto o tamanho da cintura pode parecer um problema cosmético, não se trata de mulheres que se encaixem nos seus jeans, mas sim de um indicador importante da saúde geral e bem-estar, particularmente quando tomado em conta com outras medidas de saúde. Especialistas estão percebendo cada vez mais que a obesidade, medida através do tamanho da cintura, pode ser um indicador melhor da obesidade do que o IMC. Resultados para mulheres destacam um problema preocupante como gordura sendo armazenada em torno da cintura e isso pode contribuir para problemas de saúde significativos, tais como câncer de mama e a infertilidade”.
 

"A abordagem de Nuffield saúde é apoiar as pessoas para alcançar seus objetivos de saúde e fitness, principalmente se as pessoas estiverem obesas ou se se preocupam em tratar sua medida de cintura, quaisquer preocupações de saúde particular ou questões mais gerais do estilo de vida são relevantes. O MOT de saúde é um elemento-chave do presente. Sendo que parte do programa de saúde MOT comprovadamente ajuda as pessoas a perderem peso, movendo o seu IMC para a categoria de peso saudável e obtendo uma pressão arterial a um nível saudável”, continua a Dra. Davina Deniszczyc.
 
Henrique Torres