Sorria mais na terceira idade!


Envelhecer com qualidade de vida significa também não descuidar da saúde bucal

A população brasileira está cada vez vivendo mais. Basta olhar os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): em dez anos, a expectativa de vida do brasileiro passou dos 69 para 72 anos.

Quanto mais se vive, maior importância adquire o termo “qualidade de vida”. Mas viver com qualidade não é fácil. Aprendemos a cuidar do corpo, da alimentação e das emoções. Porém, às vezes damos pouca importância, ou simplesmente ignoramos um órgão importantíssimo: a boca.

Quem vive a melhor idade precisa tomar cuidados redobrados. Os idosos estão mais expostos a doenças como câncer,  artrite, diabetes e Parkinson. Pessoas que precisam realizar uma terapia contra o câncer, por exemplo, podem estar desnutridos, têm redução na quantidade de saliva e, muitas vezes, perdem a capacidade de sentir o gosto dos alimentos. Ficam mais expostos a sofrer doenças na boca, como a xerostomia ou atrofia das glândulas salivares, como conseqüência da própria idade ou do uso de medicamentos contra a doença. E a saliva é essencial, pois ajuda a proteger os tecidos bucais, lubrifica a mucosa e previne a desmineralização dos dentes.

Já quem sofre de artrite tem comprometida a habilidade manual necessária para fazer uma boa e completa higiene da boca. O mesmo acontece com pessoas com Parkinson, cujos movimentos também ficam restritos.

A ausência de dentes ou problemas na arcada dentária podem complicar a saúde da boca. Saúde bucal comprometida significa alimentação prejudicada, menos vida social e outras doenças como conseqüência da falta de cuidados.

Para evitar inflamações na gengiva (gengivite), cáries, excesso de placa bacteriana e boca seca (xerostomia), por exemplo, basta seguir algumas dicas simples, como:

- Escovar sempre os dentes após as refeições.
- Utilizar creme dental com flúor, fio ou fita dental e um enxaguante bucal sem álcool.
- Trocar a escova dental a cada três meses.
- Visitar o dentista a cada seis meses.
- Beber muita água.  

Cabe à família ajudar idosos que não conseguem escovar bem seus dentes e e estar sempre alerta para qualquer mudança de hábito ou comportamento.

Por: AgComunicado