Soluço: livre-se dele!


Saiba o que acontece no organismo e provoca esse efeito

O movimento e barulho característicos de quem está soluçando podem ser engraçados – às vezes, até constrangedores. Quando o “hic hic” começa, parece até que nunca irá cessar. Esta ação involuntária não apresenta riscos à saúde e costuma passar em alguns minutos.

Tudo começa no diafragma – músculo localizado na base dos pulmões, e que se contrai para auxiliar a inspiração e a expiração. O soluço é o efeito de uma respiração com espasmos involuntários do diafragma. Geralmente isso ocorre quando se exagera na comida, comendo rápido demais, após a ingestão de bebidas gasosas ou com temperaturas extremas, ou ainda quando alguma indigestão leva o diafragma a sair do ritmo.

Os espasmos provocam o fechamento da glote, uma espécie de tampa da laringe, que serve de passagem de ar para os pulmões. Quando este fechamento ocorre simultaneamente à contração do diafragma, o resultado é o soluço. Em geral, dura pouco tempo, porém há casos de crises de soluço que duram cerca de 48 horas. São os chamados “soluços persistentes”. Pode ser necessário o uso de medicamentos de acordo com a recomendação médica.

São várias as formas que as pessoas encontraram para se livrar do soluço: tomar água, prender a respiração, levar um susto, entre outras mais. Todas fazem efeito, pois provocam a paralisação da respiração por alguns segundos, o suficiente para tranquilizar o diafragma e fazer seu ritmo voltar ao normal.

Como prevenção, nada melhor do que comer devagar e mastigar bem os alimentos. Além de evitar o soluço, este hábito melhora a digestão, tornando-a mais saudável.

Por: AgComunicado