Sarampo: vacina é a única forma de prevenção


O Ministério da Saúde estendeu o prazo da vacinação até o dia 30 de setembro

Desde 2007 não é registrado nenhum caso de sarampo no País. Mas a campanha de vacinação para crianças de 1 a 7 anos continua até a próxima sexta-feira, dia 30 de setembro, em todos os postos de saúde. Na década de 1970, o sarampo levou a óbito centenas de crianças menores de 5 anos, principalmente desnutridas e sem acesso a serviço médico. Ainda hoje, a doença existe me países em desenvolvimento, por isso, a prevenção é o melhor remédio.

A doença é sazonal: em países de climas temperado costuma ter maior incidência entre o final do inverno e o início da primavera; já em países de clima tropical, a transmissão aumenta depois da estação chuvosa.

O vírus leva, em geral, 10 dias de incubação. Entre os principais sintomas estão febre alta, acima de 38,5°C, tosse seca, coriza, conjuntivite e fotofobia. É altamente contagiosa e passa de pessoa para pessoa. Daí a importância de evitar aglomerações e ambientes fechados, como escolas, creches, shoppings centers e hospitais.  

Depois da febre, surge o exantema, quando se acentuam os primeiros sintomas, o paciente fica prostrado e surgem as lesões que caracterizam o sarampo, chamadas de exantema cutâneo máculo-papular, de cor vermelha. Uma vez que tais sintomas diminuem, o exantema escurece e pode haver uma descamação fina da pele.  

O sarampo reduz as defesas do organismo, o que facilita a o desenvolvimento de  qualquer superinfecção, de origem viral ou bacteriana. Por isso, são frequentes as
complicações, principalmente em crianças até os 2 anos de idade.  Outro fator a que se deve estar atento é a permanência da febre por mais de três dias e após o aparecimento do exantema. Isto pode indicar possíveis complicações, como: pneumonia, otite, diarreia e complicações neurológicas.

Não há um tratamento específico para o sarampo, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o uso da vitamina A em toda criança que contrair a doença, inclusive adultos jovens, a partir do dia do diagnóstico. Manter a hidratação, a alimentação e controlar a febre são outras medidas importantes a serem seguidas.  

Por isso, se ainda não vacinou o seu filho, corra! A vacina é a única forma de prevenir o sarampo.  

Por: AgComunicado