Sal na medida certa não prejudica a saúde


Segundo dados da OMS, consumimos o dobro da quantidade ideal diariamente

O cloreto de sódio, conhecido como sal de cozinha, é o tempero mais popular para realçar o sabor dos alimentos. Está presente em boa parte dos alimentos industrializados. Por conta desta preferência disseminada do sal como tempero na alimentação cotidiana, é necessário ter cautela para não consumi-lo em excesso e, assim, prejudicar a saúde. Por outro lado, quando a ingestão é moderado, o sal não traz malefícios. 
 
O grande problema está em se ultrapassar com frequência o limite diário de ingestão. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo ideal é de 6g de sal por dia, valor equivalente a uma colher de chá. No entanto, as pessoas costumam consumir pelo menos o dobro desta quantidade diariamente, o equivalente a uma colher de sopa. Sem perceber o alto índice de sódio de certos alimentos industrializados, há quem ultrapasse esse limite sem nem perceber. 
 
Podemos verificar na tabela nutricional dos alimentos industrializados a quantidade de sódio neles contido. Vale ressaltar que 6g de sal equivalem a 2,4g de sódio. O melhor mesmo é substituir os produtos industriais pelos naturais sempre que possível.
 
Existem várias maneiras de diminuir a quantidade de sal nas refeições. Como regra para uma boa saúde, vale deixar de lado o saleiro à mesa. Não é indicado salgar ainda mais alimentos que já levam sal em sua preparação. Misturar temperos saborosos como os marinados, com variações de vinagres, alho e sementes de cominho, coentro, pimenta ou orégano ajudam a dispensar o excesso de sal. Na medida certa, ele não promove a retenção de líquidos ou o ganho de peso. Quem tem hipertensão ou problemas de retenção hídrica deve seguir as recomendações médicas quanto à quantidade correta de sal na dieta.
 
Por: AgComunicado