Saiba sobre a doença de Chagas


A doença existe há mais de cem anos e ainda há muitos casos no Brasil

A doença existe há mais de cem anos e ainda há muitos casos no Brasil

 
Há mais de cem anos a doença de Chagas foi descoberta, por meio do cientista Carlos Chagas. Em 1909 foi emitido um estudo descrevendo a contaminação em humanos causada por um protozoário conhecido como Trypanosoma cruzi, transmitido pelo inseto conhecido como barbeiro, o cientista relatava a experiência realizada com diferentes animais de laboratório infectados pela doença.
 
Estima-se que a doença atinge aproximadamente 2 milhões de pessoas no Brasil, o mal não tem cura, e embora diversas campanhas e ações tenham sido realizadas para a redução de incidências, a doença não foi completamente erradicada, são registrados entre 150 e 200 casos por ano.
 
A transmissão da doença de Chagas não ocorre mediante a picada do inseto, como algumas pessoas podem pensar, mas quando o indivíduo coça a região picada e as fezes do inseto penetram por meio do orifício na pele.
 
A doença pode se proliferar por meio de transfusão de sangue contaminado ou até mesmo no período da gravidez, se a mãe for portadora da doença. Alguns casos de contaminação foram registrados em 2007 pelo Ministério da Saúde por meio da ingestão de caldo de cana-de-açúcar e açaí que continham fezes do inseto.
 
Os sintomas da doença são: febre, mal-estar, vermelhidão e inchaço nos olhos, aumento do fígado e baço, entre outros, muitas pessoas tratam esses sintomas como simples virose, e na maioria dos casos, a febre desaparece, mas os órgãos já foram contaminados.
 
Existem casos assintomáticos, ou seja, a pessoa pode passar a vida inteira sem quaisquer sintomas que identifiquem a doença e só perceber com a realização de exame de sangue de rotina.
 
A fase aguda da doença de Chagas é caracterizada pelo surgimento de meningite e encefalite, não é um episódio frequente, mas quando se manifesta pode levar à morte.
 
Quando o protozoário Trypanosoma cruzi se encontra na corrente sanguínea, as primeiras regiões do corpo que afeta são os gânglios, fígado e baço, depois ataca o coração, esôfago e intestino. Uma das características mais frequentes é o aumento do coração que caracteriza em um quadro de cardite chagásica. Pode resultar no aumento do cólon que faz com que as fezes fiquem retidas e no aumento do esôfago, provocando vômitos.
 
O desenvolvimento da doença varia de pessoa para pessoa, algumas podem não ter graves comprometimentos, outras, podem inclusive chegar ao óbito.
 
O tratamento costuma se resumir em medicamentos prescritos pelo médico, o efeito muitas vezes costuma ser satisfatório, mas é inútil em casos em que a doença encontra-se evoluída.
 
Pessoas que vivem nas regiões Norte e Nordeste do país devem ficar mais atentas, em casos de quaisquer sintomas, é importante buscar tratamento médico.
 
O mal não tem cura, o que se pode pensar é em ações em prol da erradicação da doença, a única forma que prevenir a doença de Chagas é eliminando o inseto transmissor ou afastá-lo do convívio humano. 
 
Poderia haver mais campanhas, principalmente nas regiões em que a incidência de contaminação é eminente. Talvez a negligência ao problema seja a maior responsável pelo mal ainda existir.
 
 
Daiana Barasa