Saiba quais são os tratamentos de beleza que podem ser feitos por mulheres que amamentam


A gravidez traz muitas modificações na vida da mulher, desde mudanças sociais, culturais e, obviamente, estéticas, com aparecimento de manchas, estrias, flacidez, dentre outros fatores

O período de gravidez traz muitas modificações na vida da mulher, desde mudanças sociais, culturais e, obviamente, estéticas, com aparecimento de manchas, estrias, flacidez, dentre outros fatores. E após o parto, muitas delas sentem necessidade em realizar procedimentos estéticos para corrigir, justamente, essas alterações, que trazem incômodo. Mas é preciso ter muito cuidado, especialmente, durante o período de amamentação, pois muitos tratamentos podem prejudicar a produção de leite - ou mesmo - trazer riscos à saúde do bebê.

Renata Guidi, pesquisadora e fisioterapeuta dermatofuncional, pontua que existem tratamentos corporais que já podem ser feitos pelas mães após 40 dias do parto. Contudo, a contraindicação é o uso de carboxiterapia (aplicação de injeção para tratar celulite). "A técnica pode promover alteração de sensibilidade, edema e certo desconforto local. Além disso, por se tratar de um procedimento com agulhas - pode causar ansiedade - tensão e estresse, podendo interferir nas taxas de liberação hormonal, como da prolactina, que tem a função de estimular a produção do leite materno”, explica.

Então, para tratar gordura localizada e celulite de forma mais segura, a especialista indica sessões com ultrassom terapêutico, de alta potência associado à Corrente Aussie. A radiofrequência também pode ser utilizada, mas Renata orienta ter sempre muita cautela. Já as estrias, uma das grandes queixas da mulheres, obtêm melhores resultados, a partir de tratamentos que envolvem uso de agulhas, portanto, não sendo indicada para lactantes.

Quanto aos tratamentos faciais contra flacidez e sinais de envelhecimento, a pesquisadora destaca que a radiofrequência pode ser usada, mas com muito cuidado. Isso porque o equipamento tende a gerar calor intenso - o que pode - muitas vezes, provocar tensão a quem recebe o procedimento e comprometer a produção de leite.

Para a especialista, a estimulação por microcorrente é mais segura, se comparada à radiofrequência, porque não traz desconforto à mulher e proporciona resultados satisfatórios. Todavia, antes de realizar qualquer procedimento estético, é sempre importante consultar o médico para avaliar os riscos desses tratamentos.

Amamentação protege criança contra diabetes

A falta de aleitamento materno pode ser um fator determinante para desencadear diabetes tipo 1, como cita artigo da Dra. Marlene Merino, que é doutora em Ciência da Nutrição, pela UFRJ (Universidade Federal do Rio Janeiro). A especialista ressalta a importância em manter a amamentação até os seis meses de idade. Além disso, o recomendável também é amamentar um pouco mais além, até os dois anos, mas, obviamente, associado à alimentação.

Renata Guidi – pesquisadora e fisioterapeuta dermatofuncional

Fonte:

ttp://www.diabetes.org.br/component/content/article?id=303:sbd-promove-3o-simposio-de-atualizacao

 

 

 

 

 

 

 

 

Letícia Veloso