Saiba a diferença entre interação medicamentosa e reação alérgica


Medicamentos alopatas ou fitoterápicos podem provocar reações do organismo

Usar um, dois ou mais medicamentos – seja por via oral, injetável ou local - pode causar as mais variadas formas de reação no organismo. A pele é um dos órgãos que mais se manifesta, mas não apenas ela. Alterações podem ocorrer no funcionamento de órgãos, como o fígado, na frequência cardíaca ou pressão arterial com o uso de determinados remédios.

Algumas destas reações surgem tão apenas como consequência de um único medicamento, ou então da interação entre dois ou mais. Muitas vezes confundimos “alergia” a certos remédios com interação que eventualmente pode ocorrer entre eles no organismo. Que tal compreender um pouco mais sobre os termos que aparecem nas bulas dos remédios?

Interações medicamentosas: acontecem quando os efeitos de um medicamento são alterados pela presença de outro, ou de um alimento, bebida ou agente químico ambiental. A interação medicamentos é uma causa comum dos chamadas efeitos adversos. Quando uma pessoa faz uso de mais de um medicamento, este pode agir de forma independente ou interagir com o outro/outros, aumentando ou diminuindo o efeito terapêutico ou tóxico de um ou de outro. É preciso muito cuidado quando aumenta o grau de toxicidade. Em geral, pessoas acima de 60 anos sofrem maior incidência de interações medicamentosas, pois a idade afeta o bom funcionamento de rins e fígado, dificultando a eliminação do organismo de muitos fármacos.

Reações alérgicas: quando o sistema imunológico do organismo reage a determinados medicamentos. É comum, por exemplo, que apareçam reações na pele, como a urticária (placas vermelhas, que provocam coceira e desaparecem de maneira rápida) e a dermatite de contato alérgica ou eczema de contato (coceira, vermelhidão e bolhas aparecem no local da aplicação do medicamento). A urticária pode cursar com reações mais graves, como o angioedema (inchaço das pálpebras ou lábios) e anafilaxia (edema de laringe e dificuldade para respirar). Neste caso, pode ser necessária a internação hospitalar.

Efeito colateral: é o sinal ou sintoma que surge como consequência do uso de um determinado medicamento. Algumas vezes, tal efeito pode ser positivo (por ex: emagrecimento de um paciente obeso) ou negativo (por ex: náuseas, vômitos etc.).

Efeito adverso: este termo é usado quando aparece qualquer evento negativo ao fazermos uso de um medicamento. Por exemplo, o aparecimento de uma doença, coincidentemente com o uso de determinada droga.

Superdosagem: o organismo reage quando o medicamento é usados de maneira excessiva.  

É importante saber que reações a medicamentos alopatas também ocorrem em relação a medicamentos fitoterápicos ou “alternativos”. Chás, ervas ou outras substâncias podem causar alergias e outras reações graves. Por isso, todo medicamento deve ser receitado por um profissional médico, pois ele acompanhará o tratamento, e cabe ao paciente respeitar os horários e tomar a dose correta, conforme consta na prescrição médica.
Quando precisar ir ao médico, leve sempre consigo a relação dos medicamentos, naturais ou alopatas, de que faz uso regularmente.

Por: AgComunicado