Rinite alérgica


Com as baixas temperaturas, a rinite alérgica tende a se manifestar com maior incidência. Saiba como se prevenir.

 
As reações alérgicas da rinite podem ser definidas como uma resposta inflamatória da mucosa que reveste o nariz, todas às vezes que algum alérgeno é inalado. Esses alérgenos que agravam a rinite encontram-se na poeira doméstica e nos ácaros. 
 
Apesar dos sintomas da rinite assemelhar-se com os sintomas da gripe, os mecanismos que estimulam as reações iniciais são diferentes. Os resfriados e gripes são causados por vírus, já a rinite alérgica ocorre por conta de uma inflamação do revestimento interno do nariz. Outro sintoma que diferencia a gripe da rinite, é a reação alérgica que começa minutos após o contato com o alérgeno. 
 
Os sintomas que caracterizam a rinite incluem coceira nasal, coceira na garganta, coriza, crises de espirros, obstrução nasal e sintomas oculares (coceiras ou lacrimejamento). Os fatores que podem desencadear a rinite alérgica são os alimentos, poeiras, ácaros, substâncias químicas, perfumes, pelos de animais, entre outros. 
 
Diagnosticar a rinite alérgica dos outros tipos de rinite, é fundamental. Para tanto, especialistas realizam um levantamento detalhado das vias aéreas do paciente, com exames de imagem, tomografia, raios X e se necessário, endoscopia rinossinusal. 
 
O tratamento da rinite alérgica é realizado com uso de medicamentos e aplicação de vacinas antialérgicas. O medicamento Dexametasona, ajuda a prevenir e controlar as crises. 
 
Para prevenir a reação alérgica da rinite, é necessário tomar alguns cuidados especiais:
 
- Evitar inalar pó encontrado nas residências, principalmente em carpetes e cortinas;
- Evitar infecções do trato respiratório por vírus e bactérias, podem agravar as reações alérgicas;
- Evitar o pelo de animais domésticos (cachorros, gatos);
- Evitar inspiração de ar frio (ar condicionado);
- Evitar inspirar a fumaça de cigarro;
- Evitar inalação de sprays de cabelo e desodorantes.