Remédio que combate o colesterol, a diabete e obesidade esta chegando ao Brasil


Aprovado recentemente, esse medicamento tem um grande potencial para promover grandes resultados.

 
O remédio rimonabanto, comercializado com o nome de Acomplia e fabricado pela Sanofi-Aventis, foi aprovado no final de Abril pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e chega ao Brasil até o final de Julho. O medicamento que combate a obesidade, melhora o HDL (colesterol bom) e diminui os riscos de diabetes de um modo abrangente, tem grande potencial para auxiliar pessoas com esses problemas. 
 
Nas pesquisas iniciais, o medicamento mostrou grandes resultados no efeito emagrecedor e no combate a gordura. De acordo com especialistas, que participam dos estudos sobre os efeitos do medicamento no Brasil, o rimonabanto possui uma propriedade única, que é diminuir a formação de gorduras pelo organismo e aumentar a queima dessas gorduras. Especialmente na gordura abdominal que também auxilia no controle dos níveis de açúcar no sangue. 
 
Diante dos ótimos resultados comprovados pelo estudo, muitos médicos já prescrevem o medicamento, especialmente em casos de pacientes que estão muito acima do peso, que enfrentam doenças cardiovasculares, alterações dos níveis de triglicerídeos e colesterol constantes ou que convivem com a diabetes. 
 
No caso da diabetes, o efeito do rimonabanto facilita o trabalho do pâncreas na formação e liberação de insulina, que é responsável por levar açúcar para dentro das células. 
 
A explicação para essa ação múltipla do rimonabanto, se aplica principalmente, pelo medicamento trabalhar por vias terapêuticas, utilizando o sistema endocanabinóide, situado em uma região do cérebro que regula as emoções.
 
Entretanto, apesar de múltiplas ações que beneficiam o organismo, o medicamento também tem seus efeitos colaterais e não pode ser administrado em pacientes que apresentam problemas psiquiátricos, podendo causar a perda de peso, mas em contrapartida, causar depressão, estresse e menos interesse por sexo. 
 
As expectativas sobre o medicamento são grandes, mas especialistas atentam para a utilização correta, pois o consumo só pode ser realizado sob orientação e acompanhamento médico, de acordo com as necessidades de cada paciente e não apenas para emagrecer, porque existem casos em que a dificuldade na perda de peso, encontra-se nas alterações de gorduras no sangue.