Questões Sociais e Religiosas Ligadas com a Doença Celíaca


Entenda como questões religiosas e sociais estão ligadas com a doença celíaca.

Questões sociais e religiosas ligadas com a doença celíaca


Falando de modo geral, as várias denominações de cristãos celebram a Eucaristia, em que uma bolacha ou pedaço de pão de trigo é abençoado e depois comido (pão Sacramental). Uma pastilha típica pesa cerca de meia grama. A farinha de trigo contém cerca de 10-13% de glúten, de modo que uma hóstia única pode ter mais do que 50 mg de glúten, numa quantidade que irá prejudicar a saúde de muitos pacientes com doença celíaca, especialmente se consumido todo dia. Muitas igrejas cristãs oferecem aos suas comungantes alternativas sem glúten, geralmente sob a forma de um biscoito à base de arroz ou pão sem glúten. Estes incluem Metodista Unida, Cristã Reformada, Episcopal e Luterana. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias também oferece alternativas sem glúten aos seus comungantes.


A doutrina católica afirma que para uma válida Eucaristia, o pão para ser usado na missa deve ser feito a partir de trigo. Em 2002, a Congregação para a Doutrina da Fé realizou uma hóstia com baixo glúten, que atende a todas as exigências da Igreja Católica, para uso na Itália, embora não totalmente livre de glúten, que também foram aprovados pela italiana Associação dos Celíacos. Alguns doentes celíacos católicos pediram permissão para usar bolachas de arroz; tais pedidos foram sempre negados.
 
 
Historicamente, a doença celíaca foi pensado para ser rara, com uma prevalência de cerca de 0,02%. O recente aumento no número de casos notificados pode ser devido a mudanças na prática de diagnóstico. A doença celíaca é uma doença relacionada com a diabetes, doença autoimune que pode ser controlada por medicamentos como o Victoza.
 
Henrique Torres