Quando o estresse pode se tornar um problema?


Em um mundo regido por pressões fica difícil não se estressar. Mas saiba sobre os males que esse mal da modernidade pode causar.

 
Difícil não se estressar em um mundo regido por pressões constantes em que as pessoas precisam decidir rápido, tomar atitudes o tempo todo, se esquivar de conflitos etc. Mas esse mal que está enraizado em uma cultura moderna repleta de complexidades pode inclusive desencadear doenças cardíacas e até mesmo casos de depressão.
 
Uma das recomendações médicas comuns em casos de problemas do coração é: descanse; evite preocupações; evite emoções fortes... resumindo, evite o estresse.

O que de fato este mal causa ao organismo?
Primeiramente é importante saber que o estresse faz parte do processo natural da sobrevivência humana, ou seja, o estresse muitas vezes “desperta” o indivíduo para tomadas de decisões e o ajuda a enfrentar o dia a dia.
 
Uma das principais causas de ataques cardíacos está relacionada ao estresse. A causa de tanta irritabilidade, ansiedade, preocupação, poderia estar no fato de que o dia tem apenas 24 horas. Sim, se fosse realizada uma pesquisa, a grande maioria das pessoas preferiria um dia mais longo, para que pudessem ter mais tempo para resolver os problemas.
 
O estresse é capaz de liberar um hormônio conhecido por grande parte das pessoas: adrenalina. A adrenalina aumenta os batimentos cardíacos e a pressão arterial, dependendo do grau de irritabilidade, essa combinação pode levar inclusive ao infarto fulminante.
 
Outro hormônio liberado que pode causar problemas é o cortisol, um indivíduo que já tenha histórico de problemas cardiovasculares pode inclusive morrer subitamente se os níveis desse hormônio forem fequentemente liberados devido as situações de estresse, é o que aponta um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.
 
De acordo com uma pesquisa realizada na Suécia da revista Diabetic Medicine foi constatado que homens que passam por situações de extremo estresse estão sujeitos a desenvolver diabetes do tipo 2 (quando há dificuldade no organismo de processar a insulina).

Para àqueles que já foram diagnosticados como portadores de doenças cardíacas, há uma medicação, a conhecida Sinvastatina, capaz de diminuir os riscos de AVC, infarto e ataques isquêmicos transitórios.
 
Não há um exame que constate os níveis de estresse, irritabilidade e preocupação de um indivíduo, portanto, a melhor maneira de lidar com essas emoções é cuidar de si mesmo. Viva um dia de cada vez, não sofra por antecipação, existem momentos em que um pouco de egoísmo pode ser benéfico, pense em você, na sua felicidade e não deixe que o estresse te tire preciosos anos.
 
Daiana Barasa