Qual é a Esperança de Vida de Doentes com o Mal de Parkinson?


Quais são as expectativas para o portador do mal de parkinson?

Esperança de Vida com a Doença de Parkinson

 

A idade é o melhor preditor de progressão da doença. A taxa de declínio do sistema motor é maior naqueles com menos imparidade no momento do diagnóstico, enquanto comprometimento cognitivo é mais freqüente naqueles que possuem mais de 70 anos de idade no início dos sintomas.

 

Desde terapias atuais que melhoram os sintomas motores, até a deficiência que neste momento está relacionada principalmente características de sistema motor fazem parte dos efeitos do Parkinson. No entanto, a relação entre a progressão da doença e da deficiência não é linear. Deficiência está inicialmente relacionada com sintomas motores. Enquanto a doença avança, a deficiência está mais relacionada a sintomas motores que não respondem adequadamente à medicação, tais como dificuldades de deglutição/fala e da marcha/balanço de problemas; e também para complicações do sistema motor, que aparecem em até 50% dos indivíduos, após 5 anos de uso da levodopa. Finalmente, depois de dez anos, a maioria das pessoas com a doença têm distúrbios autonômicos, problemas de sono, alterações de humor e declínio cognitivo. Todos esses sintomas, especialmente o declínio cognitivo, aumentam bastante a deficiência.

 

A expectativa de vida de pessoas com DOENÇA DE PARKINSON é reduzida. Taxas de mortalidade são em torno de duas vezes os das pessoas afetadas. Declínio cognitivo e a demência, a velhice, no início, um estado de doença mais avançada e presença de problemas de deglutição são todos os fatores de risco de mortalidade. Por outro lado, um padrão de doença caracterizado principalmente por tremor em oposição à rigidez prevê uma melhor sobrevivência. A morte por pneumonia por aspiração é duas vezes mais comum em indivíduos com DOENÇA DE PARKINSON do que na população saudável.

Henrique Torres