Psicose puerperal: você já ouviu falar sobre isso?


É um transtorno que costuma acometer mulher após o nascimento do bebê

É perfeitamente natural que a mulher enfrente mudanças e que sofra reações emocionais após o nascimento do bebê. Vale esclarecer que a psicose puerperal não é o mesmo que depressão pós-parto.

Insegurança, tristeza, ansiedade, sensação de impotência, costumam ser muito comuns entre as mulheres após o parto e no dia a dia com o bebê, mas é um processo que na maioria dos casos, é superado pela mulher com o auxílio do parceiro e das pessoas mais próximas.

Essas reações emocionais perfeitamente naturais têm uma explicação física. Após parir, a mulher sofre uma queda brusca hormonal e isso a deixa mais sensível emocionalmente, inclusive ao desenvolvimento da psicose puerperal.

Esse tipo de transtorno se caracteriza por delírios graves em que a mulher pode vir a surtar por pensamentos de que o filho ainda não nasceu, de que nasceu morto ou de que nasceu com alguma grave doença.

É uma doença emocional que causa confusão na mente da mulher e que a impede de tomar qualquer tipo de decisão. Esse problema a impede de cuidar da criança e é fundamental que imediatamente um tratamento psicológico e até mesmo psiquiátrico seja procurado.

Geralmente para o tratamento da psicose puerperal é indicado terapia e medicamentos. A mulher durante o tratamento deve se abster do aleitamento por conta das medicações e claro, é essencial o apoio do parceiro e familiares.

Se a mulher estiver enfrentando essa doença emocional, é importante que alguém se responsabilize pelo cuidado da criança até o restabelecimento emocional da mãe. Vale ressaltar que toda a família acaba sendo afetada por esse período difícil.

A psicose puerperal é um problema grave e que necessita de tratamento o quanto antes, pois pode colocar a mãe e a criança em risco.

Daiana Barasa