Prótese mamária de origem francesa tem registro cancelado


Anvisa anuncia recolhimento do produto e recomenda à população feminina que utiliza esta prótese que procure orientação médica

A notícia está na imprensa brasileira e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou em seu site e publicou no Diário Oficial (em 2/01/12) que cancelou o registro das próteses mamárias da marca francesa PIP (Poly Implants Protheses). Segundo as autoridades sanitárias da França, tais próteses apresentam um maior risco de vazamento e rompimento, pois o silicone utilizado na fabricação difere daquele autorizado para estes produtos de uso médico. A Anvisa ainda determinou o recolhimento das próteses não comercializadas que ainda estão sob os cuidados da empresa importadora.

Testes laboratoriais realizados na França detectaram que as próteses PIP podem produzir uma irritação caso haja vazamento, porém descartaram o risco de toxidade e a possibilidade de desenvolvimento de câncer de mama.

A Agência, que já havia publicado um alerta referente a este produto em abril de 2010, recomenda às mulheres que colocaram próteses PIP para que procurem seus médicos e façam a devida avaliação e acompanhamento. Caso não saiba – ou não se lembre – da origem da prótese mamária implantada, é bom procurar assistência médica preventiva.

No próximo dia 11 de janeiro, representantes da Anvisa, do Ministério da Saúde,  da Sociedade Brasileira de Mastologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica se reunirão com o objetivo de aprovar um protocolo de atendimento para as mulheres que utilizam a prótese mamária PIP.

Segundo a Anvisa, não há motivo para pânico por parte de quem se submeteu à colocação desta prótese. Segundo o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, um dos mitos em relação ao uso das próteses de silicone é a de que podem causar câncer de mama. No entanto, estudos e pesquisas jamais comprovaram qualquer relação entre a ocorrência do câncer de mama e a prótese de silicone.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, este tipo de implante não interfere nos controles radiológicos, e tampouco há contraindicação para gestantes ou para mulheres que estejam amamentando. No entanto, realizar os exames preventivos e seguir as recomendações médicas é sempre necessário.

Por: AgComunicado