Problemas com próteses mamárias


Próteses da marca Rofil têm registro cancelado pela Anvisa

As próteses francesas tiveram o registro cancelado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Agora é a vez de uma marca holandesa. A Anvisa excluiu do mercado brasileiro os implantes mamários fabricados pela empresa holandesa Rofil depois de constatar que foram adquiridos do fabricante francês PIP, que foi banido do país por utilizar silicone industrial. Este tipo de matéria prima não é indicada para produzir próteses por apresentar grande probabilidade de rompimento ou vazamento. Em caso de ruptura, o produto pode causar inflamações nos tecidos, entre outras complicações de saúde.

Segundo a Anvisa, caberá ao Sistema Único de Saúde (SUS) bancar a troca das próteses mamárias PIP e Rofil que vazarem ou se romperem. Serão atendidas mulheres que fizeram o implante tanto para reconstrução mamária como para finalidade estética, nas redes pública e particular.

Ao contrário do governo francês e da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, a Anvisa só recomenda a remoção do implante em caso de ruptura ou risco aparente, descartando a retirada preventiva. A agência, no entanto, adverte sobre a importância de uma reavaliação e acompanhamento das pacientes com próteses mamárias PIP e Rofil implantadas desde 2004.  Já para os médicos, as regras para a autorização de implantes mamários precisam ser revistas e reelaboradas. Hoje o país importa 14 marcas diferentes de próteses.

Na última quarta-feira (11/01), uma reunião entre o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a Sociedade Brasileira de Mastologia, o Conselho Federal de Medicina e a Anvisa especificou o protocolo que orientará o atendimento, exames, procedimentos cirúrgicos e de recuperação para as mulheres que implantaram ditas próteses mamárias.

Testes estão sendo realizados com os lotes apreendidos pela Agência. As Sociedades Médicas concordam quanto à implantação de um cadastro que permita elaborar um banco de dados que identifique todas as próteses mamárias implantadas no país, permitindo o acesso à informações como marca, lote e identidade da paciente.

A Anvisa recomenda a notificação de qualquer eventos adversos pelo site www.anvisa.gov.br

Por: AgComunicado