Probióticos: as bactérias do bem


Saiba como o organismo se beneficia delas.

 O sistema imunológico, responsável por proteger o corpo de doenças, não nasce pronto. É necessário prepará-lo e desenvolvê-lo ao longo do tempo. As diferentes vacinações previstas no calendário de vacinas têm como objetivo ensinar o organismo a produzir defesas contra bactérias e vírus que comprometem a saúde. Por outro lado, existem as bactérias do bem que, comprovadamente seguras para consumo, podem ser ingeridas através da alimentação. São as chamadas bactérias probióticas.
 
A maioria dos probióticos estão presentes nos alimentos lácteos – especialmente nos iogurtes –, e também podem ser encontrados na forma de cápsulas ou sachês. Estas duas últimas versões podem ser misturadas nos sucos ou na água de coco, em temperatura ambiente. Esse cuidado é importante para não matar as bactérias. As bactérias probióticas devem chegar ativas no intestino.
 
As bactérias do bem são ótimas aliadas da saúde e além de melhorar o trânsito intestinal, aumentam a absorção de cálcio, reduzem o colesterol ruim e ajudam a prevenir diversas doenças, como o câncer de cólon. Os probióticos devem fazer parte da alimentação e não são remédios, ou seja, não curam doenças.
 
Nutricionistas recomendam o consumo de um pote de iogurte por dia. Essa quantidade já seria suficiente para garantir a quantidade ideal diária de probióticos. Algumas pessoas já sentem mudanças boas no funcionamento do intestino um dia depois do consumo. Em geral, em até 15 dias após o início da ingestão diária de probióticos já é possível notar um ritmo intestinal mais regular. Eles ajudam a reduzir o inchaço e auxiliam no processo de emagrecimento.
 
Com a ingestão frequente das bactérias do bem, o sistema imunológico fica mais fortalecido para  combater os agentes agressores do organismo. Deve-se estar atento ao rótulo dos iogurtes, pois nem todos possuem probióticos em sua composição. 
 
Por: AgComunicado