Por que continuamos a cair nas dietas da moda?


Parece que quase toda semana uma nova dieta é criada. Desde dietas de baixo teor de gordura, dietas da sopa de repolho, e até as dietas de combinação de alimentos.

 
 
Parece que quase toda semana uma nova dieta é criada. Desde dietas de baixo teor de gordura, dietas da sopa de repolho, e até as dietas de combinação de alimentos, as dietas vão e vêm nas revistas e nas listas de best-sellers. Alguns provam a dieta mais popular, mas muitos vão pelo caminho da última moda. 
 
 
Enquanto isso, nutricionistas continuam dando o conselho sensato que defendem há anos: Para perder peso e emagrecer é preciso comer menos e se exercitar mais. Vamos ser claros, todos nós sabemos que continuar caindo em todo modismo que aparece não vai nos ajudar a emagrecer. Então, por que continuamos fazendo isso?
 
 
As dietas da moda são muitas vezes programas que você deveria seguir por apenas algumas semanas. Mas especialistas em nutrição insistem que a abordagem correta para a perda de peso é mudar seu estilo de vida - de forma permanente.
 
 
As pessoas precisam sentir que os benefícios da mudança de comportamento superam os custos. Para muitas pessoas que seguem as dietas da moda o custo psicológico de desistir de seu estilo de vida que engorda parece grande demais. Então, eles optam pela "solução rápida".
  
 
Ou elas apenas se identificam com as pessoas que indicam a dieta Lisa Dorfman, uma nutricionista, conselheira de saúde mental, e porta-voz da Associação Dietética Americana. Por exemplo, as pessoas não pensam sobre se um plano de perda de peso apresentado por uma celebridade atraente é saudável ou lógico. "Elas só gostam da celebridade e gostariam de se parecer com ela, também", diz Dorfman.
 
 
Dietas da moda tendem a recorrer mais à vaidade das pessoas do que ao seu desejo de se manter saudável. O foco está em polegadas e libras, não reduzindo o risco de diabetes ou doença cardíaca. "As pessoas estão mais motivadas por querer mudar a maneira de se olhar no espelho do que preocupadas com a sua saúde", disse Dorfman. 
 
 
"Talvez esse seja um dos nossos problemas como profissionais de saúde e de nutrição, porque tanto se concentramos nas consequências para a saúde em longo prazo, que não pensamos em como as pessoas se olham. Nós preferimos que as pessoas fiquem saudáveis, mas elas estão mais preocupadas com a maneira que se olham do que com a sua saúde".
 
Henrique Torres