Pesquisa mostra que adolescentes mandam mensagem de texto ao dirigir!


Veja os resultados da pesquisa!

 
Alexandra Bailin, do Centro Médico Cohen para Crianças de Nova York, e equipe realizaram um estudo para determinar o quanto digitar mensagens de texto enquanto se dirige é comum entre os adolescentes. Eles se reuniram e analisaram dados do Youth Risk Behavior Survey de 2011, que incluía informações sobre 7.833 estudantes do ensino médio que tinham idade suficiente para dirigir em seu estado.
 
 
A pesquisa é feita pelo CDC (Centers for Disease Control and Prevention), uma vez a cada dois anos, e verifica se há seis tipos de comportamentos de risco à saúde conhecidos por contribuir para a mortalidade, invalidez e problemas sociais entre os jovens americanos. A pesquisa de 2011 incluiu uma pergunta sobre mensagens de texto pela primeira vez, e perguntou: "Durante os últimos 30 dias, em quantos dias você mandou  mensagem de texto ou e-mail enquanto estivava dirigindo um carro ou outro veículo?"
 
 
Bailin e seus colegas queriam saber se quaisquer outros comportamentos de alto risco estavam ligados a mensagens de texto enquanto atrás do volante, e também se as leis estaduais que proíbem mensagens de texto enquanto dirige faziam qualquer diferença. Abaixo estão alguns dados destacados apresentados por Bailin sobre o percentual de jovens que mandaram mensagens de texto pelo menos uma vez nos últimos trinta dias:
 
 
  1. 46% dos homens;
  2. 40% das mulheres
  3. 52% dos mais de 18 anos;
  4. 46% das de 17 anos;
  5. 33% dos de 16 anos de idade;
  6. 26% dos jovens de 15 anos.
 
 
Mensagens de texto enquanto está dirigindo está ligado a outros comportamentos de risco?
 
 
Os adolescentes que admitiram ter enviado mensagens dentro dos 30 dias anteriores tinham maior probabilidade de ter dirigido sobre a influência de álcool, já tiveram relações sexuais desprotegidas e utilizaram um dispositivo de bronzeamento artificial.
 
 
Bailin disse: "Ao identificar comportamentos de risco associados, tais como estes, nossa esperança é que possamos desenvolver mecanismos mais eficazes para reduzir as mensagens de texto enquanto se dirige".
 
 
Parece que as leis estaduais que proíbem mensagens de texto enquanto dirige não estão tendo um impacto suficiente. 39% dos adolescentes mandaram uma mensagem durante a condução em estados que proíbem a ação, em comparação com 44% em outros estados - e não tivemos uma diferença estatisticamente significativa, Bailin acrescentou.
 
 
O pesquisador sênior, Andrew Adesman, chefe de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento no Centro Médico Cohen de Crianças em Nova York, disse: "Infelizmente, nossa análise sugere que as leis estaduais não reduzem significativamente as mensagens de texto que os adolescente mandam enquanto dirigem".
Henrique Torres