Pesquisa Aponta para Tendência dos Diagnósticos On-line


Veja os benefícios e os riscos de fazer o diagnóstico on-line

Pesquisa Aponta para Tendência dos Diagnósticos On-line
 
 
Quando a pesquisa perguntou se as informações que as pessoas encontraram on-line as levaram a pensar que elas precisavam ver um médico, 46% delas disseram que sim, enquanto 38% delas disseram que poderiam cuidar delas mesmos e 11% disseram que não sabiam. A pesquisa também perguntou se os diagnosticos on-line eram fiéis quando elas recebiam um diagnóstico médico. Mais de 40% disse que um profissional médico confirmou o diagnóstico on-line, enquanto 35% disseram que não procuram uma opinião profissional. O Estudo mostra que 1 em cada 3 americanos usa a Internet para ajudar com os diagnósticos.
 
 
O relatório conclui que mesmo antes da internet as pessoas sempre tentaram responder a perguntas sobre saúde em casa antes de decidir visitar o médico.  A internet é agora uma fonte de informação que alimenta essa tendência, mas os médicos continuam a ser uma fonte central de ajuda para problemas graves de saúde e o cuidado e a conversa ocorre principalmente pessoalmente. Os diagnósticos on-line são mais susceptíveis de serem feitos por mulheres do que por homens, as mulheres tendem a serem mais jovens, brancas, vivem em famílias mais abastadas e tem um diploma universitário.
 
 
Em julho de 2012, pesquisadores escreveram no Journal of Consumer Research que usar a internet para se auto diagnosticar pode ser imprudente, porque as pessoas tendem a concentrar-se nos sintomas, em vez do risco de ter a doença. Eles sugeriram que os médicos são mais propensos a dar avaliações objetivas, porque eles também levam em conta o risco de ter uma condição especial, ao invés de apenas os sintomas que a pessoa sente.
 
Henrique Torres