Overtraining: quando a prática esportiva torna-se um risco à saúde


Saiba mais.

 Praticar atividades físicas regularmente é essencial para manter o corpo e a mente em dia. Livrar-se do sedentarismo para uns é um grande sacrifício. Por outro lado, para outros, o problema mora no exagero. O segredo está em saber dosar a quantidade de exercícios no cotidiano para não comprometer o funcionamento do organismo e acabar não aproveitando os benefícios que uma vida ativa proporciona.
 
Quando a relação entre exercícios e recuperação é desproporcional, surge um desequilíbrio no organismo, cujos efeitos transparecem no corpo. O termo “overtraining” é utilizado para designar o excesso de treinamento, quando a atividade chega a ser tão intensa que a capacidade dos músculos de se recuperarem entre um treino e outro é reduzida, resultando em um desgaste físico e emocional.
 
Praticantes de qualquer modalidade esportiva estão suscetíveis a desenvolver problemas característicos de quem treina além do que deveria. Os sintomas do chamado overtraining incluem perda de apetite, aumento da frequência cardíaca, irritabilidade, fadiga, queda de força e resistência muscular. A prática acaba prejudicando o desempenho das atividades e os resultados obtidos (emagrecer, engordar, ganho de massa muscular, etc). Com o exagero nas atividades também é comum ficar mais propenso às doenças, pois o sistema imunológico é afetado. 
 
O auxílio de um preparador físico para montar uma sequência de treino adequada às características específicas e objetivos individuais é fundamental. O monitoramento da execução de cada atividade visa evitar movimentos errados que provocam lesões.
 
Se os sintomas do excesso forem percebidos, deve-se reduzir a frequência dos exercícios e aumentar os períodos de descanso. A alimentação também precisa ser revista. O consumo de água deve ser abundante e há de se priorizar os alimentos que repõem todos os nutrientes necessários. Em casos de dores intensas ou lesões, o médico deve ser consultado, assim como o fisioterapeuta, que irá avaliar as condições físicas do paciente e, se necessário, recomendará remédios.
 
A prática esportiva, assim como a alimentação, exige moderação para favorecer os resultados planejados. Procure orientação de um especialista e mexa-se com bom senso. A pergunta a ser feita é: meu treino é sustentável ao longo do tempo?
 
Por: AgComunicado