Os riscos da Fertilização in Vitro (FIV)


Especialistas encontram aumento do risco de coágulos sanguíneos e obstrução de artéria durante a gravidez por Fertilização in Vitro (FIV)

Os riscos da Fertilização in Vitro (FIV)
 
 
A Fertilização in Vitro (FIV) está ligada a um elevado risco de embolia pulmonar (bloqueio da principal artéria do pulmão) e tromboembolismo venoso (formação de coágulos sanguíneos) durante o 1º trimestre de gestação das mulheres. A conclusão veio de uma nova pesquisa realizada pelo Instituto Karolinska na Suécia e publicada no British Medical Journal.
 
 
Cerca de 10 por cento dos casais são afetados pela infertilidade em todo o mundo; desde o ano de 1978, e estes casais foram capazes de usar fertilização in vitro para ajudá-los a ter um bebê. Até à data, a Fertilização in Vitro (FIV) tem contribuído para um nascimentos estimado de 5 milhões de crianças. A Fertilização In Vitro (FIV) foi uma das conquistas da medicina no tratamento da infertilidade. O medicamento Gonal, por vezes, é recomendado para mulheres com infertilidade.
 
 
Os cientistas estão cientes de que o risco de coágulos de sangue se torna maior durante toda a gravidez normal, cerca de 1 em 1000 mulheres grávidas desenvolveu coágulos de sangue no início do ano de 1990. Um estudo recente demonstrou que mulheres que estão grávidas e mulheres que deram a luz nos últimos 3 meses são quatro vezes mais prováveis de ter "problemas sérios de coágulo de sangue". A gravidez por meio de Fertilização in Vitro (FIV) foi encontrada para causar coágulos de sangue mais do que os coágulos de sangue encontrados na gravidez normal. No entanto, o risco de obstrução de artéria após a fertilização in vitro não é conhecida, o que é significativo porque comumente provoca mortes maternas.
 
Henrique Torres