Os Movimentos e os Transtornos Mentais


Saiba qual a relação entre os movimentos dos cidadãos e os transtornos mentais.

  Movimentos dos transtornos mentais

 

O movimento de consumidores/survivor (também conhecido como movimento de usuário/survivor) é composto de indivíduos (e organizações que os representam) quem são os clientes dos serviços de saúde mental, ou que se consideram sobreviventes das intervenções psiquiátricas. Campanhas de ativistas para serviços de melhoria da saúde mental envolvem o empoderamento dentro de serviços de saúde mental, políticas e sociedade em geral.

 

Organizações de defesa do paciente expandiram-se com o aumento da desospitalização nos países desenvolvidos, trabalhando para desafiar estereótipos, estigma e exclusão de associados com condições psiquiátricas. Há também um movimento de direitos de cuidadores de pessoas que ajudam e apoiam as pessoas com problemas de saúde mental, que podem ser parentes, e que muitas vezes trabalham em circunstâncias difíceis e demoradas, com pouco reconhecimento e sem remuneração.

 

Um movimento de consumidores e sobreviventes vem ganhado impulso. Outros tipos de medicação psiquiátrica, gradualmente, entraram em uso, tais como "psychic energizantes" (mais tarde antidepressivos) e lítio. Benzodiazepínicos ganharam uso difundido na década de 1970 para ansiedade e depressão, até que os problemas de dependência cerceada sua popularidade. Avanços na neurociência, genética e psicologia levaram a novas agendas de pesquisa. Terapia cognitivo-comportamental e outras psicoterapias se desenvolveram. O DSM e Cid adotaram novas classificações com base em critérios, e o número de diagnósticos "oficiais" viu uma grande expansão.

 

Na década de 1990, novos antidepressivos do tipo ISRS tornaram-se alguns dos mais amplamente prescritos medicamentos do mundo, como mais tarde aconteceu com os antipsicóticos. Também durante a década de 1990, desenvolveram uma abordagem de recuperação.

Henrique Torres