Os Genes BRCA1 e BRCA2 e o Câncer de Próstata


Esses genes defeituosos não só aumentam o risco de desenvolver câncer de mama, mas também dos cânceres de ovário e próstata.

Os genes BRCA1 e BRCA2 normais ajudam a suprimir tumores e proteger o ADN. As mutações desses genes (erros ortográficos em seu código de DNA) dificultam a realização dessas funções em potencialmente salvar vidas. As Mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 foram originalmente detectadas em pacientes com câncer de mama.
 
 
Nós sabemos agora que esses genes defeituosos não só aumentam o risco de desenvolver câncer de mama, mas também dos cânceres de ovário e próstata.
Não é fácil dizer em fase de diagnóstico se um homem com câncer de próstata tem o tipo mais agressivo, por isso, enquanto as opções de tratamento na fase inicial incluem a cirurgia e a radioterapia, a tendência é colocar muitos pacientes sob vigilância ativa para ver como a doença se desenvolve.
 
 
No entanto, os pesquisadores advertem que: "Nós não vamos ser capazes de dizer com certeza que o tratamento precoce pode beneficiar homens com genes herdados de câncer até que se teste em um ensaio clínico, mas a esperança é que o nosso estudo salve vidas, direcionando o tratamento para aqueles que mais precisam".
 
 
1,2% dos homens com cancro da próstata são portadores da mutação BRCA2 e 0,44% são portadores da mutação de BRCA1. O portador da mutação BRCA2 dá a um homem um risco 8,6 vezes mais elevado de desenvolver cancro da próstata em comparação com o paciente que não tem. Se um homem leva a mutação no gene BRCA1 ele tem um risco 3,4 vezes mais elevado.
 
 
O medicamento Flutamida é utilizado na área médica para tratar o câncer de próstata.
 
Henrique Torres