OMS alerta sobre a possibilidade de câncer com uso de celulares


Entidade anunciou que uso frequente do telefone móvel pode aumentar em até 40% o risco de desenvolver câncer cerebral

A radiação eletromagnética dos telefones celulares pode causar um tipo maligno de câncer cerebral, segundo anuncio feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na última terça-feira.  O anúncio foi feito por conta do resultado de uma análise conduzida por um time de cientistas de 14 países, que revisaram vários estudos. A OMS incluiu o telefone móvel na mesma categoria de risco de câncer que a do escapamento de motor de carro, do clorofórmio e do chumbo.

Embora não tenha havido até hoje nenhum caso comprovadamente ligado ao uso do celular, já se afirma a existência de um maior risco de desenvolvimento de gliomas e de aneurisma acústico para  usuários muito frequentes. Ou seja, quem usa em média o celular por meia hora por dia, num período de dez anos.

A pesquisa oferece dados suficientes sobre os riscos do telefone móvel, para que o consumidor possa ser alertado. Um diretor da Agência Internacional para Investigação sobre o Câncer, da OMS,  mencionou a importância de reduzir a exposição aos fones de ouvido, aconselhando algumas medidas práticas como optar pelas mensagens de texto ou usar fones de ouvido e viva-voz, mantendo o aparelho longe da cabeça.
    
Do outro lado, a indústria de telefonia celular se defende afirmando que não há provas conclusivas sobre o efeito nocivo da radiação para a saúde dos usuários. Porém, a resposta da indústria de telefonia celular muito se assemelha às da indústria de tabaco. Mesmo após a comunidade cientifica internacional levantar a hipótese de que o uso frequente do celular poderia causar câncer, tal risco  até hoje é negado pela indústria.  

É importante salientar que a utilização de celulares pelas crianças não é recomendável, chegando a ser até desaconselhado, pois o crânio é menor, o couro cabeludo mais fino e a radiação penetra com maior facilidade.

Por: AgComunicado