Olhos vermelhos, sinal de conjuntivite?


Obedecer as recomendações médicas e adotar hábitos de higiene são fundamentais para o tratamento da conjuntivite

Olhos vermelhos e lacrimejantes, coceira, secreção, inchaço nas pálpebras e uma sensação desconfortável de “areia” nos olhos. Muitas pessoas sofreram com a conjuntivite neste inverno seco. A doença se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, uma membrana transparente e fina que reveste a parte branca da superfície anterior do olho e também a parte interna das pálpebras. Quando inflamada, fica vermelha.

O período de incubação da conjuntivite é de quatro a sete dias, e em geral, ataca primeiro um dos olhos, passando também para o outro. A fase aguda dura de sete a dez dias, e corresponde à época de maior contágio. A conjuntivite pode durar de uma semana a 15 dias, e não costuma deixar sequelas.

A doença pode ser de origem alérgica (poluentes ou substâncias irritantes, como o cloro das piscinas) ou causada por vírus e bactérias. Os oftalmologistas explicam que existem cerca de 12 tipos de vírus diferentes que podem levar à conjuntivite, sendo os mais frequentes o adenovírus e o enterovírus – este, aliás, identificado pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, como o grande responsável pela epidemia deste ano.

É difícil resistir, mas não se deve coçar os olhos. Recomenda-se fazer compressas com água gelada, que pode ser mineral ou fervida, com gaze esterilizada, sobre os olhos fechados, durante cinco minutos, de cinco a seis vezes por dia. O frio reduz o desconforto, o inchaço e a coceira.

Quanto ao tratamento, não há medicamentos específicos para a conjuntivite viral, mas há colírios que ajudam. Outro, no entanto, podem agravar ainda mais a situação. Por isso, não se automedique. A evolução da conjuntivite dependerá da frequência do uso do colírio, e da adoção de algumas medidas de higiene.

Por ser altamente contagiosa, evitar aglomerações na fase aguda da doença é essencial, por isso, deixe as idas ao clube, academias ou shoppings para depois. Se for impossível manter-se longe da família, evite beijos e apertos de mão e lave as mãos constantemente, evitando passá-las pelo rosto. Os casais devem dormir em quartos separados durante este período.

Enquanto estiver com conjuntivite, utilize uma toalha só sua, ou então de papel para enxugar o rosto e as mãos. Não compartilhe esponjas ou artigos de maquiagem, como rímel, lápis para olhos e delineadores. Troque as fronhas dos travesseiros todos os dias.
E, mesmo já se sentindo melhor e desaparecendo os sinais e sintomas, retorne ao oculista para fazer um controle final.

Por: AgComunicado