Obama Patrocinará Pesquisa sobre Compreensão do Cérebro


Barak Obama anunciou US $ 100 milhões em seu orçamento de 2014 para patrocinar o primeiro ano da "Iniciativa Cérebro".

O Presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, anunciou na terça-feira que vai pedir US $ 100 milhões em seu orçamento do ano fiscal de 2014 na próxima semana para patrocinar o primeiro ano da "Iniciativa Cérebro", um corajoso esforço de pesquisa nova de 10 anos para fazer avançar a nossa compreensão do cérebro humano e descobrir novas formas de tratamento, prevenção e cura de doenças cerebrais, como autismo, epilepsia, lesão cerebral traumática, esquizofrenia e mal de Alzheimer.
 
 
Doenças cerebrais e distúrbios custam ao sistema de saúde dos EUA aproximadamente US $ 500 bilhões por ano, segundo o Dr. Francis Collins. O Dr. Collins, disse: "O cérebro humano é, no momento presente, o órgão mais complicado no universo conhecido. A capacidade de tentar entender como os circuitos do cérebro se comportam e suas propriedades muito complexas é um dos maiores desafios que a ciência tem atualmente".
 
 
Obama disse que a iniciativa CÉREBRO lembra o Projeto Genoma Humano, de 3000000 mil dólares, que o Dr. Collins ajudou diretamente durante a década de 1990. O Projeto Genoma Humano mapeou todos os genes no DNA humano. O sequenciamento do genoma humano começou custando mais de US $ 100 milhões de dólares, e, eventualmente, caiu para R $ 7.000 no final do projeto. Foi visto como o prelúdio da medicina personalizada. A Life Technologies diz que pode sequenciar todo o genoma humano por US $ 1.000.
 
 
Obama descreveu que a iniciativa CÉREBRO é um dos "grandes desafios” da Administração - com objetivos ambiciosos, mas realizáveis, que exigem avanços sérios em tecnologia e na ciência para ser realizado. Ele pediu aos centros de pesquisa, fundações, organizações filantrópicas e empresas para se juntarem a ele "em identificar e perseguir adicionais Grandes Desafios do século 21 - desafios que podem criar os empregos e as indústrias do futuro, melhorando vidas".
 
 
Henrique Torres