O Viés Cognitivo em Transtornos Alimentares


Conheça essa pesquisa sobre os transtornos alimentares.

Viés cognitivo em transtornos alimentares

 

Viés de atenção é a inclinação para acreditar que um estímulo emocionalmente dominante atrai e controla a atenção de uma pessoa. Essa pessoa vai negligenciar a informação que não cumpra os estímulos emocionalmente dominantes e ele irá afetá-los ao fazer julgamentos em relação os estímulos, acredita-se que o viés de atenção tem um efeito sobre transtornos alimentares. Muitos estudos foram realizados para testar esta teoria, como estudos por Shafran, Lee Cooper, Palmer & Fairburn (2007), Veenstra e de Jong (2012) e Smeets, Jansen, & Roefs (2005). Em cada um destes três estudos os experimentadores encontraram que o viés de atenção está presente em transtornos alimentares. Cada estudo é explicado em uma das seções. O experimento de Shafran (2009) é explicado na subseção da atenção e o preconceito em relação aos grupos de controle. O experimento de Veenstra (2012) é explicado o viés de atenção na subseção de Anorexia Nervosa. O experimento de Jansen (2005) é explicado na subseção do viés de atenção na seção de dissastifaction do corpo. Finalmente toda a relevância dessas experiências é explicada a relevância dos estudos em atenção a preconceitos sobre o tratamento de transtornos alimentares da subseção.

 

Neste estudo os experimentadores mostraram os participantes em quatro diferentes grupos de imagens. Os três primeiros grupos foram fotos retratando imagens boas, ruins ou neutras em relação à alimentação, peso e forma. O quarto grupo foi o grupo controle, mostrando fotos de animais. Havia quatro medidas distintas para esta experiência. Eles eram envolvidos no exame de transtorno alimentar. Os resultados indicam que houve um viés significativo para as imagens de "boa" imagem corporal mostrado pelos pacientes com um distúrbio alimentar. Os participantes com um transtorno alimentar levou mais tempo para decidir se as imagens positivas foram "bem", que levou-os a decidir se as imagens negativas eram "ruins". Os resultados mostram que não há diferenças para o neutro e grupos de formas entre as três condições diferentes. A hipótese para este experimento foi apoiada e mostra que embora fêmeas de diferentes níveis de grupo de controle de ansiedade todas compartilham os mesmos preconceitos, mulheres com transtornos alimentares sofrem baises de atenção diferente.
Henrique Torres