O que você precisa saber sobre a candidíase


A candidíase é uma doença que acomete muitas mulheres e homens. Saiba como tratar.

 
Muitas mulheres já enfrentaram este problema e já foi comprovado cientificamente que 75% do público feminino terá um episódio deste tipo de infecção ao longo da vida, trata-se da candidíase.
 
A candidíase é causada por um fungo, o mais conhecido é a Cândida Albicans. Todas as mulheres possuem esse fungo presente da flora vaginal, mas alguns fatores podem fazer com que a defesa natural presente na região genital seja fragilizada e haja a proliferação dos fungos.

Quais os fatores que possibilitam a candidíase?
A imunossupresão (popularmente conhecida baixa imunidade) pode ser responsável pela infeccção, já que o ph vaginal é alterado e a acidez na região íntima aumenta, possibilitando a doença. A gravidez, o uso de antibióticos; diabetes; alergias; anticoncepcionais; roupas íntimas lavadas com sabão em pó; calças muito apertadas etc., podem ser responsáveis pelo surgimento da candidíase.
 
Os sintomas podem variar, nas mulheres o mais frequente é coceira na região íntima e no canal vaginal; corrimento branco semelhante à nata do leite; ardor no momento de urinar (muitas mulheres podem inclusive confundir a ardência com infecção de urina); dor durante as relações sexuais; surgimento de lesões no canal vaginal devido à coceira. Homens também podem ser acometidos pela candidíase, nesse caso os sintomas são: pequenas manchas vermelhas no pênis; lesões sutis que se assemelham a pontos; edema leve; coceira ou até outros problemas dermatológicos. Há casos de candidíase oral cujos sintomas são: surgimento de placas esbranquiçadas e aveludadas na região da língua e mucosa da boca.

A primeira ação quando sintomas como estes surgem é procurar tratamento médico, exames são realizados e quanto detectada a doença o tratamento mais comum é a partir do uso de antimicóticos e pomadas antifúngicas (como é o caso do Cetoconazol), há casos em que é necessário o uso de medicação via oral.
 
Existem algumas ações que podem auxiliar nestes casos como: se alimentar de maneira equilibrada; evitar bebidas alcoólicas e cigarro; realizar higiene íntima adequada; usar roupas de tecidos mais leves e que não sejam apertadas na região íntima; fazer uso de calcinhas de algodão; evitar o uso de absorventes perfumados ou internos; usar papel higiênico branco sem perfume etc.
 
A candidíase não é enquadrada como doença sexualmente transmissível, mas é possível haver contaminação em casos de relações sexuais sem preservativo, portanto é importante que após o diagnóstico, haja o cuidado da prevenção. Essa doença tem cura e merece mais esclarecimentos.
 
 
 
 

 
Daiana Barasa