O que são os defeitos cardíacos congênitos?


Conheça as causas, os sintomas e o tratamento.

 
As cardiopatias congênitas são problemas que se desenvolvem no momento do nascimento do bebê, na estrutura do coração. Esses problemas geram pequenos defeitos cardíacos congênitos que alteram o fluxo sanguíneo normal, por meio do coração ou pelos vasos sanguíneos que envolvem o coração. 
 
Existem diversos tipos de defeitos cardíacos congênitos, que podem ser dos mais simples, tal como um pequeno orifício entre as câmaras do coração que não se desenvolveu adequadamente, como os problemas mais complexos e graves, como uma válvula cardíaca.
 
O diagnóstico dos efeitos cardíacos congênitos, pode ser realizado enquanto o bebê ainda está na barriga da mãe, no entanto, existem casos em que o diagnóstico só foi encontrado após o nascimento. Existem outros casos também, em que o diagnóstico só pode ser descoberto no paciente, ainda criança ou já na fase adulta. 
 
Os exames que geralmente são realizados, são os de sangue, o ecocardiograma e o cateterismo cardíaco. O ecocardiograma possibilita que o médico verifique o fluxo sanguíneo, observando as válvulas, espessura e forma do coração. O cateterismo cardíaco mede a pressão sanguínea nas artérias e possibilita que o médico consulte, se existe uma obstrução das veias que bombeiam o coração. 
 
Se você apresentar placas de gordura (colesterol) na parede das artérias que impedem o fluxo sanguíneo, especialistas recomendam o medicamento Sinvastatina, que auxilia na redução dessas placas de gordura e melhoram o bombeamento de sangue para o coração. 
 
Os sintomas dos defeitos cardíacos congênitos nos bebês, podem ser:
 
- Cansaço repentino;
- Dificuldade em respirar;
- Inchaços ou edemas;
- Fraldas molhadas menos que o normal;
- Coloração azulada da pele, como lábios e unhas.
 
No entanto, vale ressaltar que a cardiopatia congênita nem sempre manifesta sintomas e pode ser descoberta somente na fase adulta. 
 
Os tratamentos são realizados por meio de medicamentos que tratam os sintomas até que o defeito congênito seja reparado. Existem casos que o um tubo fino, chamado cateter, é inserido por um vaso sanguíneo, para fechar os buracos ou vasos sanguíneos abertos no coração.