O que são os ovários policísticos?


Um dos problemas ginecológicos que as mulheres em idade fértil encontram com mais frequência é o problema dos ovários policísticos!

 
 
Um dos problemas ginecológicos que as mulheres em idade fértil encontram com mais frequência é o problema dos ovários policísticos, também conhecido como síndrome dos ovários policísticos. Como você pode imaginar a partir do nome, a doença consiste nos ovários aumentados devido à formação de alguns cistos de vários tamanhos.
 
 
A mulher que possui ovários policísticos produz uma contagem maior de hormônios masculinos, os andrógenos, e isso pode afetar a fertilidade feminina. O principal problema que este desequilíbrio hormonal provoca está relacionado com a ovulação. A testosterona produzida pela mulher interfere nesse mecanismo e, ao mesmo tempo, aumenta a possibilidade da incidência de cistos, porque eles resultam de um defeito na ação dos hormônios do ovário, impedindo a ovulação. 
 
 
Como isso ocorre?
 
 
Fala-se de uma tríade de sintomas: amenorréia (ausência de menstruação), hirsutismo (crescimento excessivo de pelos) e obesidade. Estes sintomas são causados pelo chamado anovoluzione cónico, ou a constante  ausência de ovulação, a qual está associada com o hiperandrogenismo, ou seja, o aumento da produção e secreção de androgénios.

 
Ovários policísticos e hormônios!
 
 
E falando de hormônios, é justo salientar que, por vezes, a síndrome dos ovários policísticos também pode estar associada a outras alterações hormonais que causam hiperandrogenismo. Alguns exemplos? A síndrome de Cushing, hiperplasia suprarrenal congênita (glândula muito importante para a saúde) e mesmo os tumores do ovário e da glândula suprarrenal.

 
Ovários policísticos e a insulina!
 
 
Muitas vezes, as mulheres com ovário policístico também irão revelar níveis elevados de insulina no sangue (hiperinsulinemia) e uma redução da resposta dos tecidos à insulina (resistência à insulina). O resultado? Estas mulheres são propensas a ter complicações no nível do metabolismo e ter excesso de peso, para não mencionar os casos em que se desenvolve a diabetes mellitus. 
 
 
Então neutralizar a resistência à insulina é importante, também porque ela pode voltar a ter uma maior regularidade do ciclo menstrual e você pode até ganhar uma redução nos fatores de risco cardiometabólico.
 
 
Victoza é indicado para auxiliar a controlar diabetes tipo 2, por meio da melhora de açúcar no sangue, quando utilizado junto com uma dieta balanceado e com exercícios. O que fazer? Simples: basta ter cuidado com o que você come e fazer o máximo de exercícios.
 
Henrique Torres