O que é a síndrome dos ovários policísticos (SOP)?


Exames de imagem que indicam cistos nos ovários nem sempre comprovam a SOP

 Ciclo menstrual irregular, falta de menstruação por longos períodos, pele e cabelos oleosos, queda de cabelo, acne e crescimento excessivo de pelos no corpo e na face são alguns dos sintomas que afetam as mulheres que sofrem com a síndrome dos ovários policísticos (SOP). Essa condição costuma aparecer na adolescência ou na vida adulta e é mais comum do que se imagina: chega a afetar cerca de 10% da população feminina em idade fértil. Há controvérsias sobre sua origem; acredita-se que tenha relação com alguma anormalidade na parte endócrina da mulher, que gera anovulação (ausência de ovulação) ou ovulação irregular. Há pouca atividade folicular e pequenos cistos nos ovários se desenvolvem.
 
O surgimento da síndrome não tem necessariamente a ver com o estilo de vida, mas sabe-se que a maior incidência ocorre entre mulheres em idade reprodutiva com problemas de obesidade. Porém há mulheres magras que são diagnosticadas. Pode haver um componente genético: é comum observar casos de SOP em mulheres de uma mesma família. O diagnóstico é realizado por meio do exame clínico da mulher pelo ginecologista e por exames de imagem (ultrassom). No entanto, exames que mostrem microcistos ou cistos nos ovários nem sempre comprovam a SOP. Se a mulher menstrua normalmente e não apresenta sintomas da SOP, a mera presença de microcistos nos ovários em algum momento do ciclo não gera necessidade de tratamento. 
 
Já no caso das mulheres com variados sintomas da síndrome, os tratamentos variam de acordo com com a situação específica da paciente. Se a preocupação for de ordem estética  – relacionada à presença de acne, seborreia e pelos em excesso, por exemplo – e a mulher não quiser engravidar, pode-se utilizar como medicamento algumas pílulas anticoncepcionais – sempre sob prescrição médica. Se a mulher apresenta dificuldades para engravidar, o foco do tratamento é estimular a ovulação e outra linha de tratamento é seguida. Em geral, antes de qualquer tratamento é necessário controlar o excesso de peso (emagrecer, se for o caso), para se buscar uma melhor regulação do ciclo menstrual, da produção de hormônios e ovulação.
 
Exames ginecológicos anuais devem ser sempre feitos não apenas para controlar a SOP mas também para prevenir outros problemas que podem afetar a saúde feminina.
 
Por: AgComunicado