O Papel do Sal na Doença Autoimune


Estudos sugerem que a quantidade de sal que ingerimos pode influenciar a produção de células T. Veja!

O Papel do Sal na Doença Autoimune
 
 
Um sistema imunológico saudável é um sistema equilibrado: pouca atividade e nós somos vítimas de algumas doenças, muita atividade e somos atacados pelo nosso próprio corpo, provocando doenças autoimunes como a esclerose múltipla. Agora, três estudos publicados online esta semana sugerem que a quantidade de sal que ingerimos pode influenciar esse equilíbrio, incentivando indiretamente a superprodução de células do sistema imunológico.
 
 
Nos três estudos os pesquisadores focaram em um grupo de células do sistema imunológico conhecidas como células T, porque elas jogam um papel importante na limpeza de patógenos causadores de doenças e também na doença autoimune. Eles estavam particularmente interessados em como se desenvolvem as células T. 
 
 
A pesquisa anterior sugeriu que alguns tipos de doenças autoimunes podem estar ligadas ao excesso de produção de um tipo de célula imune chamada TH17, um tipo de pilha de T helper que protege nosso corpo contra agentes patogénicos. As células TH17 têm sido implicadas em um grande número de doenças autoimunes.
 
 
No entanto, células Th17 também têm sido implicadas em doenças como a esclerose múltipla, psoríase, artrite reumatoide e espondilose anquilosante. Os tratamentos para algumas dessas doenças, como a psoríase, envolvem manipulação da função da célula T.
 
 
Até agora os cientistas têm dificuldades para identificar quais as máquinas moleculares por trás da superprodução de células TH17, essa dificuldade ocorre em parte porque a maneira das ativações das células do sistema imunológico nativas no laboratório, tais como o RNA de interferência (RNAi), manipulam os genes, ou prejudicam e perturbam o seu desenvolvimento.
 
Henrique Torres