O Declínio da Obesidade Entre as Crianças Pobres Americanas


Novo estudo aponta para diminuição na taxa de obesidade entre crianças pobres americanas.

Durante o ano passado, várias grandes cidades, incluindo Los Angeles, Nova York e Filadélfia, relataram quedas de obesidade entre algumas partes da sua população estudantil.
 

Um novo estudo foi um dos primeiros a documentar um declínio nacional da obesidade entre as crianças de famílias de baixa renda. Os pesquisadores dizem que é particularmente significativo em uma população que está desproporcionalmente em risco. Vinte por cento das crianças pobres são obesas, em comparação com cerca de 12 por cento das crianças de famílias mais ricas, de acordo com os centros.
 

Não está claro o que levou ao declínio nestas famílias mais pobres, mas o Dr. Blanck tem oferecido hipóteses. A amamentação, o que muitas vezes leva ao ganho de peso saudável para as crianças, tem aumentado desde o ano de 2000. O percentual de crianças de 6 meses de idade que ainda estão sendo amamentadas aumentou para 47,7 por cento entre as crianças nascidas no ano de 2009, acima dos 34,2 por cento entre as crianças nascidas no ano de 2000.
 

A amamentação de crianças de famílias de baixa renda tem aumentado ao longo dos anos. No ano de 1980, apenas 28 por cento das crianças dessas famílias já tinham sido amamentadas, em comparação com 66 por cento no ano de 2011.
 

O Dr. Blanck também apontou para mudanças no ambiente, como indicam os documentados de um relatório sobre as práticas de marketing de alimentos divulgados pela Comissão Federal de Comércio. A obesidade é um problema que pode levar a outros, como a diabetes, que é controlada por medicamentos como o Victoza.

 
Henrique Torres